No Brasil, mais de 300 padres foram infectados pela Covid-19, afirma CNP

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Boletim da Comissão Nacional de Presbíteros registrou 21 mortes de padres diocesanos provocadas por complicações da Covid-19. O boletim divulgado nesta terça-feira, 28, pela Comissão Nacional de Presbíteros (CNP), vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), registra 347 padres diocesanos contaminados com o novo coronavírus, sendo 21 mortes provocadas por complicações da Covid-19. Os dados foram consolidados com base em consulta aos 18 regionais da CNBB.

Na tabela, é possível constatar que o regional Norte 2 da CNBB, que abrange os estados do Pará e Amapá, é o que mais contabiliza infecções de padres por Covid (58) e mortes (06). Em segundo lugar, por número de infectados, está o regional Nordeste 2 que abrange os estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas. Foram contabilizados (57) infectados e (03) mortes. O regional Sul 1, que abrange o Estado de São Paulo, ocupa o terceiro lugar em número de infectados (38); já o número de mortes corresponde a (01) caso.

Já o Estado do Ceará, correspondente ao regional Nordeste 1, está no quarto lugar da lista com relação ao número de infectados (37); já o número de mortes corresponde a (04) casos. Ocupando o quinto lugar estão os Estados da Bahia e Sergipe, correspondentes ao regional Nordeste 3. São (20) padres infectados, e nenhuma morte registrada. Dos 18 regionais da Conferência, apenas no regional Oeste 1, Mato Grosso do Sul, não há registro de padre infectado por covid-19.

Bispos

A Comissão Nacional de Presbíteros também incluiu em seu relatório o recente número de bispos que testaram positivo para a Covid-19. Os dados já haviam sido confirmados pela CNBB, no dia 20 de julho. Nove bispos testaram positivo para a Covid-19 e dois óbitos foram registrados.

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Campanha da Fraternidade 2020

Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)