Neste domingo, Espanha inicia Ano Jubilar de Guadalupe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Comemorações serão iniciadas com uma Missa; Jubileu será concluído em 8 de setembro de 2021.

Neste domingo, 2 de agosto, será iniciado na Espanha o Ano Jubilar de Guadalupe. As comemorações serão abertas com uma Missa, às 12 horas, presidida pelo arcebispo de Toledo e concelebrada juntamente com os bispos das dioceses da Extremadura, juntamente com a abertura da Porta Santa do Mosteiro de Santa Maria de Guadalupe. O Ano Jubilar será concluído no dia 8 de setembro de 2021, e coincidirá com o 25º aniversário do reconhecimento do Mosteiro como Patrimônio da Humanidade. Por ocasião da data, foi publicada a Carta Pastoral “Guadalupe: Casa de Maria, Casa de Cura”, assinada em 16 de julho passado pelo Arcebispo de Toledo, Dom Francisco Cerro Chaves, e pelos bispos das dioceses da Extremadura – Celso Morga, Arcebispo de Mérida-Badajoz, José Luis Retana, Bispo de Plasencia e Diego Zambrano, Administrador Diocesano da Diocese de Coria-Cáceres. 

Jubileu, a peregrinação do povo de Deus

No início da Carta, os prelados fazem uma viagem histórica, recordando a coroação pontifícia da imagem, que foi realizada pelo Cardeal Segura, em 12 de outubro de 1928, quando ele deu “plena satisfação às expectativas e ao desejo entusiasta da Igreja em peregrinação à Extremadura”. Os bispos agradecem à comunidade franciscana do Mosteiro e recordam a ligação da monarquia com este lugar mariano desde os tempos da Rainha Isabel, a Católica, e sublinham o compromisso dos Arcebispos de Toledo, “especialmente os da segunda metade do século XX” que “têm estado próximos de todas as suas preocupações e atividades”. O Jubileu é “um evento eclesial de primeira ordem”, dizem os prelados, “no qual queremos que todo o povo de Deus que peregrina nas dioceses da Extremadura participem”.

Guadalupe, a nova Betânia

“Ir em peregrinação a Guadalupe – dizem – não só deveria mudar nossos corações, levar-nos a uma profunda conversão e cura, mas nos encorajar a manter os olhos elevados, ver longe, ter grandes sonhos e corações abertos para uma resposta generosa, cujo objetivo não podemos sequer imaginar”. O Santuário Mariano, continuam os bispos, é um “lugar de cura e encontro com Jesus e Maria”, e deve “tornar-se uma nova Betânia, um centro de espiritualidade, onde se pode descansar com o Senhor e a Santíssima Virgem; onde se pode ouvir, meditar e rezar em paz”. “Guadalupe tem seus braços abertos para toda a comunidade humana, é sensível a toda pessoa que, por alguma razão, sofre, precisa ser ouvida e consolada em sua dor; seus braços estão abertos à cultura, ao encontro e a tudo que promove e enobrece a dignidade humana em todas as suas facetas”.

O pensamento pelos que sofrem com a pandemia

Por fim, a Carta pastoral é dirigida a todos os que perderam parentes e amigos devido à pandemia do coronavírus: “Não esqueçam – concluem – quando caminharem em direção a Guadalupe que todos estão presentes, estão conosco que nos encorajam e nos chamam a viver este Ano Jubilar, um ano cheio de ternura e misericórdia, que podemos tomá-los pela mão através da fé, da esperança e do amor, no limiar da Porta Santa do céu que é cada altar e cada Eucaristia, e assim abraçá-los e dizer-lhes o quanto os amamos”.

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Campanha da Fraternidade 2020

Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)