O Papa reza pelo Líbano e pede diálogo e justiça para Belarus

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
"Continuo rezando pelo Líbano e por outras situações dramáticas no mundo que causam sofrimento às pessoas. O meu pensamento se dirige à querida Belarus. Acompanho com atenção a situação pós-eleitoral neste país e faço um apelo ao diálogo, à rejeição da violência e ao respeito pela justiça e pelo direito", disse Francisco.

Após a oração mariana do Angelus, o Papa Francisco invocou mais uma vez a paz no mundo. Na saudação aos fiéis que rezaram a oração do Angelus, Francisco recordou o Líbano e Belarus, duas áreas que vivem atualmente momentos críticos.

Continuo rezando pelo Líbano e por outras situações dramáticas no mundo que causam sofrimento às pessoas. O meu pensamento se dirige à querida Belarus. Acompanho com atenção a situação pós-eleitoral neste país e faço um apelo ao diálogo, à rejeição da violência e ao respeito pela justiça e pelo direito. Confio todos os bielorussos à proteção de Nossa Senhora, Rainha da Paz.

A seguir, saudou com afeto todas as pessoas presentes na Praça São Pedro, os romanos e peregrinos de diferentes países.

Em particular, saúdo os religiosos brasileiros presentes aqui em Roma, com muitas bandeiras, estes religiosos seguem espiritualmente a Primeira Semana Nacional da Vida Consagrada, que é celebrada no Brasil. Tenham uma boa semana da vida consagrada. Adiante!

Francisco saudou também os jovens corajosos da Imaculada e recordou que esses são dias de férias:

Que sejam um tempo para restaurar o corpo, mas também o espírito através de momentos dedicados à oração, ao silêncio e ao contato repousante com a beleza da natureza, dom de Deus. Que isto não nos faça esquecer os problemas que existem por causa da  Covid: muitas famílias que não têm trabalho, que o perderam e não têm comida. Que as nossas pausas de verão também sejam acompanhadas pela caridade e proximidade a essas famílias.

Por fim, desejou a todos um bom domingo, um bom almoço e pediu aos fiéis para não se esquecerem de rezar por ele.

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Campanha da Fraternidade 2020

Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)