A fé não consiste em ritos e obrigações a serem cumpridos à força

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
"E a gratuidade do amor a Deus, onde fica?"

A fé não consiste em ritos e obrigações a serem cumpridos à força, destacou em sua rede social o pe. Gabriel Vila Verde. Ele escreveu:

“Uma pergunta que me deixa triste é: ‘Padre, tal Missa cumpre preceito? Tal coisa cumpre preceito?’ Ora… fica parecendo que nossa fé não passa de um forçado cumprimento de ritos e obrigações! Se não for de preceito, eu não vou. Se não for mandamento, eu não cumpro. E a gratuidade do amor a Deus, onde fica?

A fé não consiste em ritos e obrigações

O padre prosseguiu:

“Quando leigo, eu não ia à Missa do Natal por ser preceito, mas porque era a Missa do Nascimento de Jesus, e isso me bastava para sair de casa. Não ia à Missa de 01 de janeiro por ser preceito, mas para começar o ano louvando a Deus! A fé me motivava, não a obrigação. Certa vez, uma jovem disse que ia na Missa de Corpus Christi, mas não na procissão, pois não era preceito. Respondi a ela que se o meu Senhor sair em procissão qualquer dia do ano, lá estarei, seguindo seus passos. Ela compreendeu e mudou de ideia. Não sejamos doutores da Lei, mas discípulos do Amor! A lei existe para corrigir os infratores, mas o amor existe para formar santos”.
Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

Campanha da Fraternidade 2020

Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)