O bem pode ser feito todos os dias

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
“E perguntou-lhes: ‘É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal? Salvar uma vida ou deixá-la morrer?’” (Marcos 3,4).

Veja as atitudes dos homens religiosos da época de Jesus. Havia um homem com a mão ressecada que foi simplesmente ignorado, como é ignorada a pessoa na situação em que se vive, seja com doenças, enfermidades, com impurezas que muitas vezes são tratadas essas condições e elas são deixadas de lado.

Agora, se tratando de um dia de sábado, e o sábado é tudo para a observância religiosa desses homens, Jesus olha para esse homem de mão seca, pede não só para ele se levantar, mas também para ficar no meio, ou seja, que ele seja o centro das atenções.

Aquilo que é ignorado pelos homens é centralizado por Deus. Aquilo que os homens deixam de lado, Deus coloca à frente. Aquilo que para nós, muitas vezes, não tem importância, é o mais importante para Deus. A dor do outro, o sofrimento do outro, a rejeição que a pessoa vive e sofre, e não importa o dia da semana, o mês do ano, o que importa é que todo e qualquer sofrimento precisa ser acolhido, lembrado e cuidado.

O bem precisa ser feito a todo e a qualquer momento

Quando Jesus pergunta: “É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal?”, o bem é permitido; e é até redundante dizer isto: o bem precisa ser feito a todo e a qualquer momento; não existe dia para fazer o bem!

É verdade que as pessoas deixam-se levar pelo sentimento que vem em certas épocas do ano, quando chega a época do Natal, as pessoas se lembram que os pobres existem; quando chega a época do dia das mães, as pessoas lembram das mães, lembram de mães esquecidas; quando chega uma campanha do dia do deficiente, o dia desse ou daquela outra situação, talvez, as pessoas se recordem.

E quando digo “as pessoas”, essas pessoas somos nós, tão atordoados com a nossa vida presente, com as nossas preocupações e ocupações, que deixamos de lado essas coisas, essas pessoas, essas situações porque parece que elas não são importantes. Para Deus elas sempre são importantes, para Deus essas pessoas devem sempre ocupar o centro e não importa a ocasião ou situação.

Você pode estar todo centrado naquilo que está fazendo, porque aquilo é muito importante para você e ignora, passa por cima, não se lembra ou não faz questão de ver quem sofre, quem padece, quem está doente, quem está enfermo.

O coração de Deus está sempre voltado para o pobre e sofredor. Que o nosso coração se converta no coração do Senhor.

Deus abençoe você!

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

Campanha da Fraternidade 2020

Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)