Coloquemos aos pés de Jesus as nossas enfermidades

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
“Com efeito, Jesus tinha curado muitas pessoas, e todos os que sofriam de algum mal jogavam-se sobre ele para tocá-lo” (Marcos 3,10).

Quando vejo Jesus curando as pessoas, olho para o Mestre Jesus como Aquele quem cuida de nós, e Ele cuida mesmo! Precisamos permitir que Jesus cuide de nós, permitir que Ele nos cure.

As pessoas iam ao encontro de Jesus para serem curadas e “jogarem” sobre Ele seus males, suas doenças, enfermidades, dores e sofrimentos. As pessoas tocavam em Jesus e eram tocadas pelo poder d’Ele.

Jesus continua nos tocando, nos curando, nos libertando, nos restaurando e agindo no meio de nós. Mas é preciso permitir que a graça d’Ele atue em nós, é preciso permitir que a graça d’Ele cure a enfermidade de cada um de nós.

É verdade que, primeiro, precisamos admitir que estamos doentes, enfermos… E nós pecamos e erramos aqui, porque as pessoas deixam para reconhecer as suas doenças e enfermidades só quando elas são agravantes, mas toda e qualquer enfermidade é um agravamento, causam um tormento na alma, no espírito e no coração. Não ignore!

É preciso permitir que a graça d’Ele cure a enfermidade de cada um de nós

Assim como não devo ignorar nenhuma dor no meu corpo, devo procurar saber o motivo de sentir essa dor, o porquê que estar passando por isso, também não posso ignorar aquilo que se passa no meu coração, nas minhas emoções, nos meus sentimentos, pois isso me perturba tanto, me incomoda tanto. Ou se não me perturba é porque eu ignoro tanto aquilo que passa e pesa sobre mim.

Coloquemos aos pés de Jesus, coloquemos no coração d’Ele aquilo que está nos oprimindo, porque pode ser uma opressão emocional forte. De tanto acumularmos tensões, chega um momento que a cabeça fica pesada, o coração fica demasiadamente sobrecarregado.

Coloquemos aos pés de Jesus o que está nos inquietando, porque se não entregamos as nossas inquietações para Jesus, elas viram perturbações e essas crescem e geram verdadeiros desequilíbrios emocionais em mim. E daqui a pouco estou aquela pessoa estafada, traumatizada e deprimida, porque não estou entregando para Jesus aquilo que me preocupa e me inquieta.

Nenhum de nós pode ser super-homem. Você não pode ser uma supermulher. Temos que ser fortes, levar a nossa batalha de cada dia, mas despojando-nos humildemente de toda essa carcaça da fortaleza, coloquemos nossas misérias aos pés de Jesus porque é Ele que cuida de nós.

Deus abençoe você!

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2020

Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)