Santa Josefina Bakhita: a escrava que se tornou santa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Um exemplo de força, resistência e oração

Santa Josefina Bakhita nasceu no Sudão em 1869. Ainda criança foi raptada e vendida como escrava pelo menos cinco vezes. Bakhita sofreu a humilhação de ser exposta em mercados negreiros, de ser acorrentada, chicoteada e trabalhar sem descanso. Além disso, passou fome e sede. Conheceu de perto a miséria e a perversidade humana. Devido a tanto sofrimento, físico e moral, Bakhita conservou até o fim de sua vida 144 cicatrizes e um leve defeito ao caminhar.

Bakhita conheceu o evangelho em 1890 e recebeu o Batismo aos vinte e um anos, recebendo o nome de Josefina. A conversão de Santa Josefina Bakhita se deu por intermédio de um de seus proprietários, um cônsul italiano. Devido aos negócios dessa família, Josefina Bakhita voltou à África onde conheceu a congregação Santa Madalena de Canossa. Sua proprietária autorizou Bakhita a permanecer na congregação, onde ela realizou os seus votos. 

Santa Bakhita é, de fato, um exemplo de força, resistência e oração. Pelo seu testemunho de vida, fé e santidade, ela nos ensina a confiar incondicionalmente no amor misericordioso de Deus. 

Em oração com Santa Bakhita

Dia 08 de fevereiro é a festa litúrgica de Santa Bakhita. Por isso, de 31 de janeiro a 8 de fevereiro de 2021 o Movimento SINclua e o site Hozana propõem uma novena de oração em honra à Santa Bakhita. 

Durante esta novena vamos confiar à intercessão de Santa Bakhita todos aqueles que vivem ainda hoje escravidões, sejam elas físicas, morais, sociais, espirituais ou psicológicas. Além disso, vamos confiar também nossas próprias escravidões e pedir que, por sua intercessão, Deus faça de nós homens e mulheres livres. 

 

Para participar desta novena online, basta se inscrever gratuitamente na comunidade “Em oração com Santa Bakhita” do site Hozana (Clique aqui para se juntar à comunidade).

Portanto, durante nove dias estaremos em oração com Santa Bakhita e aprenderemos com ela sobre resiliência e o amor profundo e incondicional por Cristo.

O que é o Movimento SINclua?

O Movimento SINclua nasceu do desejo de ampliar nossas experiências relacionais e inclusivas para fortalecer a luta de quem se sente excluído. O SINclua é, de fato, um movimento que responde ao apelo do Papa Francisco para que nós sejamos uma Igreja em saída e assim possamos colaborar com a construção de uma sociedade mais justa, aberta e cristã.

Por Débora Moreira Araújo, do Hozana

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2020

Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)