Usemos todos os dias a medida da misericórdia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
“Prestai atenção no que ouvis: com a mesma medida com que medirdes, também vós sereis medidos; e vos será dado ainda mais” (Marcos 4,24).

Quero chamar atenção para duas realidades que a Palavra de Deus coloca aos nossos olhos. Primeiro, que uma lâmpada não é para ficar escondida, não é para ser sufocada nem deixada de lado. A lâmpada é para iluminar, para trazer luz; a lâmpada é, de fato, para nos permitir enxergar bem.

Sejamos luz e andemos na luz, permitamos que todas as nossas obras aconteçam na luz de Deus. Não viva nada escondido, que ninguém possa saber. E se houver alguém que, de repente, não seja bom para saber, procure quem possa ajudá-lo a resolver aquela situação que parece obscura na sua vida.

Para ser bem sincero, não viva suas obscuridades sozinho de forma alguma, porque tudo o que está em segredo será descoberto, a não ser que as pessoas que convivam com você ignorem ou sejam ingênuas. Porque o nosso próprio comportamento, a nossa forma de ser e de agir – por mais astutos que sejamos -, revelam que algo não está bem. E aquilo que não está bem precisamos levar à luz. Leve à luz de Deus, leve à luz da confissão, leva à luz da direção espiritual, leve à luz da graça de Deus para que você seja luz.

Jamais deixemos a medida da misericórdia, porque é essa medida que Deus usa conosco todos os dias

Tem situações que lutamos uma vida inteira para compreender, mas não é para andar na escuridão, é para andar na luz e na direção de Jesus, que é o Senhor. Por isso, não importa qual seja a sua situação, traga ela para a luz. Não é que tenho que pegar a minha vida e ficar expondo para todo mundo, mas eu tenho que encontrar o caminho da luz, para não viver na escuridão.

Depois, a medida que precisamos ter na vida é sempre a medida justa e misericordiosa, porque essa é a medida que Deus usa para conosco. Deus é justo e muito misericordioso para conosco, agora com a medida que medimos seremos medidos. Somos, muitas vezes, duros uns com os outros, somos exigentes de mais com os outros, não sabemos ter paciência, não sabemos ter misericórdia, não sabemos ter compreensão com a fraqueza, com a debilidade e a fragilidade do outro.

Se prestarmos atenção, Deus tem sempre misericórdia com as obscuridades da nossa vida, mas nós somos muitas vezes duros, rigorosos e chamamos isso de autenticidade. Sejamos autênticos com aquilo que Deus é para conosco. Se Deus é justo e misericordioso para com nossas fraquezas e fragilidades, sejamos justos, mas jamais deixemos a medida da misericórdia, porque é essa medida que Deus usa conosco todos os dias.

Deus abençoe você!

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2020

Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)