Qual é o propósito do Dia da Vida Consagrada?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
O Dia da Vida Consagrada é celebrado no dia 2 de fevereiro, durante a festa da Apresentação de Jesus no Templo. Mas quais foram as intenções de São João Paulo II em 1997 quando decidiu instituir esta data comemorativa?

“Concluídos os dias da sua purificação segundo a Lei de Moisés, levaram-no a Jerusalém para o apresentar ao Senhor, conforme o que está escrito na Lei do Senhor: “Todo primogênito do sexo masculino será consagrado ao Senhor” (Ex 13,2); e para oferecerem o sacrifício prescrito pela Lei do Senhor, um par de rolas ou dois pombinhos.”

Quarenta dias depois do Natal, a festa da Apresentação de Jesus no Templo comemora este acontecimento: Jesus é oferecido a Deus pelos seus pais. Neste dia, o Messias também vem para encontrar os fiéis. Pela boca do velho Simeão que o Espírito Santo inspira, é revelada a “Luz para iluminar as nações”. E com as suas palavras proféticas ele anuncia a oferta plenária de Jesus ao Pai na cruz e a sua vitória final sobre a morte (Lc 2, 32-35). Assim, na casa de Deus, naquele dia, se manifesta a Pessoa Consagrada do Pai que veio ao mundo para salvar todos os homens. E Maria, sua mãe, se une a ele no mesmo movimento de oblação pela salvação do mundo.

Além disso, a Apresentação de Jesus no Templo é um ícone eloquente da doação total de si a Deus por todos aqueles que, observando os conselhos evangélicos, são chamados a reproduzir na Igreja e no mundo “os traços do Jesus casto, pobre e obediente” (São João Paulo II, Exortação Apostólica sobre a Vida Consagrada). E a Virgem Maria, que oferece o Menino a Deus, exprime muito bem a atitude da Igreja que continua a oferecer os seus filhos e filhas ao Pai, associando-os à única oblação de Cristo, causa e modelo de toda a consagração na Igreja.

E, como a profetisa Ana que, como Simeão, esperava o Messias e vigiava no Templo, também a primeira vocação de quem segue a Cristo com o coração indiviso é estar em comunhão com ele, ouvindo sua palavra e louvando a Deus com humildade e firmeza. Sua vida encontrará então um profundo eco no coração dos homens. Além disso, São João Paulo II deseja “que a celebração do Dia da Vida Consagrada nesta festa litúrgica reúna os consagrados e o povo cristão para cantar, com a Virgem Maria, as maravilhas que o Senhor ainda realiza para seu filhos e suas filhas” (São João Paulo II, Mensagem para a 1ª Jornada de Vida Consagrada, 1997). Além disso, ele deseja que esta festa manifeste a todos que a vocação do povo santo de Deus é ser inteiramente consagrado a ele.

Por que um dia para a vida consagrada?

São João Paulo II viu nesta festa pelo menos três objetivos:

 

• “Em primeiro lugar, é belo e justo dar graças ao Senhor pelo grande dom da vida consagrada” (São João Paulo II, Mensagem para a 1ª Jornada de Vida Consagrada, 1997). Assim como Jesus, na sua obediência e consagração ao Pai, as pessoas consagradas nos mostram o quanto Deus está conosco, pela sua pertença plena ao único Senhor, pela sua forma de viver e trabalhar, pela sua dedicação para com os homens. Todos estes são sinais eloquentes, um forte anúncio da presença de Deus hoje no mundo. “Este é o primeiro serviço que a vida consagrada presta à Igreja e ao mundo”, sublinhou Bento XVI no dia 2 de fevereiro de 2006. No povo de Deus, as pessoas consagradas são como sentinelas que percebem e anunciam a nova vida já presente em nossa história”.

• “Em segundo lugar, o objetivo deste dia é tornar a vida consagrada mais conhecida e apreciada por todo o povo de Deus, dos bispos aos sacerdotes, dos leigos às próprias pessoas consagradas”, explicou São João Paulo II em 1997, no primeiro Dia da Vida Consagrada. Assim o expressou São João Paulo II às pessoas consagradas em 2 de fevereiro de 2000: “O testemunho escatológico pertence à essência da vossa vocação. Os votos de pobreza, obediência e castidade pelo Reino de Deus constituem uma mensagem que enviamos ao mundo sobre o destino final do homem. É uma mensagem preciosa: “Quem zela pelo cumprimento das promessas de Cristo é capaz de comunicar esperança aos irmãos, muitas vezes desanimados e pessimistas quanto ao futuro”.

E acrescentar: “A vida consagrada é uma memória viva do Filho pertencente totalmente ao Pai, que é visto, vivido e apresentado como o único amor (a virgindade), como a única riqueza (a pobreza), como a única realização (a obediência). Esta forma de vida abraçada por Cristo e transformada em presente pela vida consagrada é de grande importância para a vida da Igreja; expressa de fato a resistência de uma pessoa para com Deus, que é Tudo, por uma vida no seguimento de Cristo, na luz e na força do Espírito Santo. O conhecimento e o amor pela vida consagrada surgem, portanto, de um aprofundamento das exigências radicais inerentes à mensagem evangélica: a meta da vida do cristão é pertencer ao Pai, à imitação de Cristo, sob a ação do Espírito. Ao contemplar o dom da vida consagrada, a Igreja contempla a sua vocação mais profunda, a de pertencer apenas ao seu Senhor. Por isso afirmo que a consagração especial da vida consagrada está a serviço da consagração batismal de todos os fiéis, porque Deus deve ser tudo em todos”.

• O terceiro motivo diz respeito às próprias pessoas consagradas: “Elas são convidadas a celebrar juntas e solenemente as maravilhas que o Senhor realizou em suas vidas”, explicou São João Paulo II na primeira Jornada de Vida Consagrada. São convidadas a refletir sobre o dom recebido, a descobrir, num olhar de fé cada vez mais puro, o esplendor da beleza divina difundida pelo Espírito em sua forma de vida, a tomar consciência de sua missão incomparável na Igreja para a vida do mundo.

Os frutos da missão

Num mundo marcado por tantos compromissos e distrações, por deveres absorventes e realidades cativantes, este dia certamente ajuda a evidenciar com mais intensidade e urgência a responsabilidade que os homens e mulheres consagrados têm de encarnar com alegria e serenidade a vida e a mensagem do Filho de Deus. Eles anunciarão assim ao nosso mundo, nas mais diversas situações, que em última instância o Senhor é para o homem verdadeiro amor, verdadeira riqueza, o caminho mais seguro para a realização. Uma vida consagrada cheia de alegria e no Espírito Santo, nos caminhos da missão, é o maior serviço que hoje se presta ao homem. E o seu principal ensinamento, que subjaz e sustenta todas as missões próprias dos vários carismas, é este: “O homem contemporâneo escuta mais as testemunhas do que os mestres ou, se escuta os mestres, é porque são testemunhas” (São Paulo VI, Exortação Apostólica para a Evangelização do Mundo Moderno, 1975, n. 41).

Para São João Paulo II, a instituição deste dia na festa da Apresentação do Senhor no Templo, portanto, apoiou a missão da Igreja. Em primeiro lugar à sua missão no mundo, para que quem ainda não conheceu a Cristo, possa aproximar-se dele por meio daquelas pessoas que, pelo dom total de si mesmas, testemunham que Cristo é o único Filho, enviado do pai. O Papa destacou que a nova evangelização se torna possível e efetiva graças a pessoas que, antes de tudo se auto evangelizam, “podem apresentar o Evangelho em sua plenitude e mostrar o rosto materno da Igreja, serva dos homens, no nosso tempo “.

Oração de Bento XVI pelas pessoas consagradas

Também foi assegurado um apoio concreto à pastoral das Igrejas locais desta forma: “Podem por vezes ser tentados, como Marta, a considerar a missão sobretudo nas muitas coisas a fazer e as que devem ser feitas, naturalmente. Mas este dia lembra a todos que é escolhendo o papel de Maria que podemos dar frutos abundantes na vinha do Senhor. A Virgem Maria, que teve o grande privilégio de apresentar ao Pai, Jesus Cristo, seu Filho unigênito, como oferta pura e santa, nos guarde em ação de graças ao Senhor pelo dom da vida consagrada e pelas maravilhas que realizou para o bem de toda a humanidade”, disse ele em 1997.

E Bento XVI, em 2 de fevereiro de 2006, formulou esta oração e se dirigiu às pessoas consagradas:

Que o Senhor renove a cada dia

em cada pessoa consagrada

a resposta alegre ao seu amor livre e fiel.

Como velas acesas,

faça brilhar sempre e em todo lugar

o amor de Cristo, luz do mundo.

Que a Bem-Aventurada Virgem Maria, a mulher consagrada,

os ajude a viver plenamente sua vocação e missão especiais

na Igreja para a salvação do mundo.

Amém

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2020

Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)