A oração tem poder para vencer os espíritos impuros

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
“Jesus chamou os doze e começou a enviá-los dois a dois, dando-lhes poder sobre os espíritos impuros” (Marcos 6,7).

É uma graça muito grande o poder que Jesus nos dá sobre os espíritos impuros. E aqui é importante que tomemos consciência de que os espíritos impuros estão no mundo, e estão invadindo o nosso interior, a nossa família com todas as propagandas que o mundo impuro tem. São propagandas enganosas e mentirosas que ludibriam a nossa mente e os nossos sentidos, que nos deixam compenetrados naquilo que este mundo tem de enganoso.

É preciso dizer que os espíritos impuros são provocativos, chegam mansos como quem não quer nada, e depois tomam conta da casa. Olhe quantos espíritos impuros agem em nós, tornam-nos muitas vezes pessoas violentas, briguentas e marrentas! Quando os espíritos impuros entram em nós despertam o que há de pior: a inveja, o ciúme, o rancor, a mágoa, os pensamentos impuros e imorais, as indecências. Quando os espíritos impuros invadem a nossa mente, somos movidos por esses pensamentos, sentimentos e ações impuras.

Não nos esqueçamos de que Jesus chamou os Seus para purificá-los, e depois para enviá-los para que tivessem poder sobre esses espíritos impuros.

Como é importante o pai e a mãe entenderem como eles têm poder sobre seus filhos, sobre sua casa e sua família! É por isso que são dois, e os dois são uma só carne. E quando vocês agem como Jesus está falando, enviando dois a dois, a graça de Deus acontece.

Os espíritos impuros são provocativos, chegam mansos como quem não quer nada e depois tomam conta da casa

O problema é quando você escuta aquela coisa mais dura, quando é para rezar o homem diz: “Isso é para a mulher. A oração é com ela”. Não existe oração para ela, o que existe é oração para os dois, com os dois, porque são uma só carne, e o Senhor está enviando os dois para que juntos orem pela sua casa e orem pelos seus filhos.

Uma casa fica manca quando a compreensão da vivência da fé é entregue para um, e o outro vai cuidar somente das responsabilidades materiais. Não existe isso!

A educação dos filhos é responsabilidade dos dois; o cuidado da casa é responsabilidade dos dois. Se os dois trabalham fora, ok! Mas se um só trabalha fora e o outro cuida da casa, mesmo o que trabalha fora precisa estar junto com a sua companheira na administração espiritual, psicológica e emocional de toda a casa.

Não é porque você trabalhou, que colocou o pão dentro de casa que você não vai se ocupar. Eu lhes digo: ocupem-se juntos na oração. Na hora de orar pelos filhos, orem juntos, e vocês verão milagres acontecerem!

Aqueles espíritos preocupantes, perturbantes, que agem muitas vezes no casamento, na casa, na família, são expulsos quando o casal ora junto. O grande drama da vida conjugal é saber fazer muitas coisas belas juntos, mas não saber orar juntos, não ter comunhão de oração na vida conjugal. Quando se unem no matrimônio, a graça do envio acontece, vocês são enviados, mas são enviados primeiro para a própria casa, para o próprio casamento e para a família.

Não adianta percorrerem o mundo todo pregando e falando de Jesus se não pregam, não anunciam, não oram uns com os outros e não oram juntos pelos filhos. Essa é a graça e a autoridade que Deus concede a vocês!

Deus abençoe você!

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2020

Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)