Diocese de Cachoeiro de Itapemirim tem novo bispo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
O Papa Francisco nomeou dom Luiz Fernando Lisboa Bispo da Cachoeiro de Itapemirim, transferindo-o da Diocese de Pemba, em Moçambique, e elevando-o ao mesmo tempo a arcebispo.

O Papa Francisco nomeou bispo da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim (ES), nesta quinta-feira (11/02), dom Luiz Fernando Lisboa, transferindo-o da Diocese de Pemba, em Moçambique, e elevando-o ao mesmo tempo a arcebispo.

Dom Luiz Fernando Lisboa nasceu em 23 de dezembro de 1955, em Marquês de Valença, na Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. Completou os estudos de Filosofia, em Curitiba, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1977-1980), e de Teologia no Instituto Teológico São Paulo-ITESP (1980-1984). Especializou-se em Missiologia e em Liturgia na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção em São Paulo.

Em 23 de janeiro de 1977, fez a profissão religiosa na Congregação da Paixão de Jesus Cristo (Passionistas). Em 10 de dezembro de 1983, foi ordenado sacerdote.

Dentro da Congregação no Brasil, desempenhou os seguintes cargos: diretor do Seminário Menor e dos estudantes de Teologia, vigário paroquial, pároco, superior local, ecônomo, vice-mestre de noviços e assessor para a formação.

Em 2001, foi enviado como missionário para a Diocese de Pemba, em Moçambique, na qual desempenhou o seu ministério como vigário paroquial, pároco e formador no Seminário Passionista. Voltou para o Brasil em 2010, e no ano seguinte foi nomeado pároco de Santa Teresinha de Lisieux, em Colombo, na Arquidiocese de Curitiba.

Em 12 de junho de 2013, foi nomeado Bispo de Pemba, em Moçambique, e recebeu a ordenação episcopal em 24 de agosto do mesmo ano.

Em 2018, foi secretário-geral da Conferência Episcopal de Moçambique e coordenador do Departamento Social da mesma conferência.

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2020

Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)