Renunciemos a nós mesmos e tomemos a nossa cruz

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
“Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia e siga-me” (Lucas 9,23).

Jesus está nos chamando para segui-Lo. Ele chama, mas precisamos querer segui-Lo. Seguir alguém – sobretudo seguir o Mestre Jesus – é exigente. Sei que segui-Lo é o caminho da vida, o caminho da salvação; e em nenhum outro caminho encontro vida, em nenhum outro caminho encontro a salvação, pois é seguindo os passos de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo que o encontramos.

Sejamos conscientes do que consiste o seguimento de Jesus, das exigências que Ele mesmo coloca para nós, para que não nos iludamos nem nos enganemos, mas, ao mesmo tempo, não estejamos parados quando o nosso objetivo é segui-Lo.

A primeira exigência para segui-Lo é renunciar a si mesmo. Egoístas como somos, individualistas como a mentalidade mundana nos forma, a necessidade de renunciar a si mesmo é uma exigência para cada dia da nossa vida. Renunciar a si mesmo é não nos prendermos às nossas vontades, aos nossos gostos nem ao que queremos.

Renunciar a si mesmo é ter a capacidade de ceder para saber ouvir, ouvir Deus, ouvir o outro. Renunciar a si mesmo é refletir as suas próprias ideias, concepções, pensamentos e ideologias. Renunciar a si mesmo é deixar de lado as crenças adquiridas ao longo da vida, as convicções que formamos de nós mesmos, para aprender as convicções do Evangelho.

Tomar a cruz significa abraçar a vida como ela é e com as suas exigências próprias

Renunciar a si mesmo é a capacidade de abrir mão do seu discurso, da sua retórica para poder ouvir Cristo acima de tudo. Renunciar a si mesmo é saber silenciar para poder escutar. Renunciar a si mesmo é deixar Deus ser o primeiro sempre em tudo aquilo que faz e realiza.

A segunda exigência é tomar a cruz de cada dia. Tomar a cruz significa abraçar a vida como ela é e com as suas exigências próprias. A vida não é fácil para ninguém, ela tem suas incongruências, tem as situações que, muitas vezes, não compreendemos, mas precisamos abraçar.

A vida, muitas vezes, impõe-nos sofrimentos. Muitas vezes, trazemos sofrimento para nossa vida, e precisamos lidar com essas situações e não fugir dos compromissos, das responsabilidades e da nossa cruz de cada dia.

Não estamos no tempo da glória; a glória espera no corpo quem carrega a sua cruz de cada dia, quem carrega os sofrimentos, o peso da existência. E permita-me tirar o sentido negativo de cruz: quando se fala em carregar a sua cruz, a pessoa logo pensa que cruz é aquela coisa dolorosa, é só aquela coisa que nos faz ter penúria. Mas cruz é vida e salvação.

O casamento é uma cruz. Que cruz abençoada! Ter filhos é cruz, é exigente, mas que bênção é criar filhos, cuidar deles! A vida é uma cruz, por isso a vida é uma bênção, desde que saibamos assumi-la e carregá-la com a graça de Deus.

Deus abençoe você!

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".