Busquemos com toda humildade a graça da conversão

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
“Os que são sadios não precisam de médico, mas sim os que estão doentes. Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores para a conversão” (Lucas 5,31-32).

O quanto é importante olharmos para o nosso Mestre Jesus que pegou Levi, que estava na coletoria de impostos e, o fato de estar sobre ele, já tinha sobrecarregado na imagem dele todos os pecados.

Os cobradores de impostos eram desonestos, eram cruéis, injustos, maldosos e, de repente, um homem que vivia tudo isso foi chamado por Jesus. Do outro lado, o Mestre Jesus, que chamou Levi, entrou na casa de publicanos, de pecadores, foi comer com eles e os fariseus se escandalizaram porque Jesus foi comer com os pecadores, e a resposta cirúrgica do Mestre Jesus: “De fato, eu não vim chamar os justos”.

Os justos já estão justificados, os santos já estão santificados, mas são os pecadores… É para pecadores como eu e você que Jesus veio; Ele veio para realmente nos salvar do pecado da arrogância que tantas vezes toma conta do nosso coração; da vaidade e da ilusão de nos acharmos melhores que os outros. Veio nos arrancar das artimanhas do pecado que nos ilude e nos engana, que nos faz acreditar que aquelas virtudes que nós temos são suficientes para sermos melhores que os outros.

O Mestre Jesus veio para que nós, pecadores, alcancemos a graça da conversão

O Mestre Jesus veio para iluminar as trevas interiores, tantas vezes escondidas dentro de nós que não nos permitem mudar o que precisamos mudar, transformar o que precisamos transformar e, sobretudo, mudar a nossa mentalidade. O Mestre Jesus veio para que nós, pecadores, alcancemos a graça da conversão.

Paremos de justificar as nossas próprias falhas em cima do que os outros fazem. “Eu não faço o que os outros fazem” – Imagina! Mas precisamos reparar aquilo que fazemos a cada dia. Quanta maldade escondida, quantos maus desejos guardados, quantas más intenções. Olhar os nossos atos, nossas atitudes e humildemente reconhecer: “Eu sou pecador. Preciso me converter”.

Precisamos realmente reconhecer que o mal está em nós e pedir a graça de Deus para alcançarmos a Sua misericórdia; a graça de Deus para que a Sua misericórdia nos lave, nos purifique, nos renove e nos transforme a cada dia. É essa graça que precisamos. É essa graça que buscamos com toda a intensidade do nosso coração. Já alcanço a primeira delas reconhecendo que sou pecador, assim as outras graças virão em consequência. A graça da conversão diária, da santificação dos meus atos e das minhas atitudes.

É com muita humildade que nos aproximamos de Jesus, Senhor da misericórdia, para que alcancemos a conversão verdadeira dos nossos pecados.

Deus abençoe você!

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".