Examinemos a nossa postura diante da verdade do Evangelho

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
“Não percebeis que é melhor um só morrer pelo povo do que perecer a nação inteira? Caifás não falou isso por si mesmo” (João 11,50-51).

As autoridades judaicas tomaram a decisão de matar Jesus, em outras palavras, eles não suportavam mais Jesus. Eles olharam para Jesus e viam n’Ele uma ameaça ao poder e a vida que levavam.

Toda coerência é uma ameaça, toda verdade é uma ameaça. A coerência é uma advertência às nossas coerências de vida. A verdade traz luz às nossas mentiras, fantasias e ilusões, por isso, muitas vezes, as pessoas não querem a verdade nem a coerência.

Jesus era verdadeiro, coerente e pregava a verdade, é óbvio que as autoridades vivendo tantas ilusões e mentiras, as pessoas vivendo as suas hipocrisias não querem acolher a verdade, preferem eliminá-la do que acolhê-la. Quando vem algo para iluminar as nossas incoerências, preferimos inventar desculpas, nos opor, nos contrapor do que querer acolher, refletir, meditar, repensar e reconsiderar.

Há um instinto agressivo dentro de nós que vem para fora quando nos sentimos ameaçados e tocados; respondemos com agressividade todas as vezes que somos contraditados e incomodados.

A verdade traz luz às nossas mentiras, fantasias e ilusões

A verdade incomoda, a coerência incomoda, a luz de Deus é incômoda. Por isso, Jesus é muito incômodo. Foi incômodo ontem, Ele é incômodo hoje, porque realmente provoca reações dentro de nós, Ele nos leva a rever a vida que estamos levando.

Se a Palavra de Jesus não nos incomoda e não nos arranca do nosso comodismo, do nosso orgulho e do nosso egoísmo, é porque já matamos ela em nós ou porque a ignoramos, e seguimos Jesus apenas na conveniência. Naquilo que me convém eu sou de Jesus, naquilo que não me convém eu ignoro, deixo de lado; ou naquilo que me incomoda eu rejeito.

É preciso rever a nossa postura diante da verdade do Evangelho, é preciso revermos as nossas escolhas diante da Palavra de Jesus que está diante de nós. É preciso deixar sermos incomodados e deixar que a Palavra continue a nos incomodar para sairmos daquilo que nos escraviza: o egoísmo, o individualismo, a nossa maneira soberba, orgulhosa e vaidosa de viver.

Jesus veio para nos libertar, deixemo-nos ser libertos por Aquele que é nosso Salvador, para não nos opormos e querermos rejeitá-Lo do nosso meio.

Deus abençoe você!

 

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".