Revisemos nossa postura de discípulos de Jesus

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
“Depois do pedaço de pão, Satanás entrou em Judas. Então Jesus lhe disse: ‘O que tens a fazer, executa-o depressa’” (João 13,27).

Nesta terça-feira da Semana Santa, nós nos colocamos na condição de discípulos de Jesus e olhamos a fragilidade, a fraqueza, os perigos que corremos como seguidores de Jesus se não O seguirmos em Espírito e verdade. Os dois discípulos, sobre os quais contemplamos, na Palavra, a fraqueza é para nós sinal de alerta: quem estiver de pé tenha cuidado para não cair.

Judas Iscariotes era discípulo de Jesus como os outros, era administrador dos bens que aquele grupo possuía, mas ele focou seus olhos nos bens e no dinheiro, mas não focou seu coração em Jesus. O dinheiro falava mais alto para ele do que o Mestre Jesus. Estava na mesa ceando com Jesus, recebendo o pão como os outros receberam, que para nós se torna a Eucaristia, o Corpo do Senhor. Judas não pôde reconhecer, não pôde entrar na comunhão, porque ele tinha outra ambição no seu coração. No momento que recebeu aquele pão, ao invés de receber a graça do Espírito, ele deixou satanás entrar no seu coração.

Que cuidado devemos ter, nós que recebemos a Eucaristia, que recebemos a Palavra de Deus, nós que rezamos, que falamos de Jesus? Cuidado, porque na mesma boca que entra Jesus, Ele pode sair, porque colocamos satanás dentro de nós com sua astúcia, com suas malícias, seus erros e enganos, com nossas vaidades, ilusões, nossa avareza, nosso amor desordenado aos bens materiais.

Olhemos a fragilidade, a fraqueza, os perigos que corremos como seguidores de Jesus

Quantas pessoas querem Jesus em vista da sua ganância, da sua avareza! Quantas pessoas querem Jesus para os seus projetos e interesses pessoais! Quantas pessoas não querem servir a Jesus, mas querem apenas ser servidas por Ele e usá-Lo para os seus interesses. É esse demônio que entra no coração de Judas.

Do outro lado está Pedro, aquele discípulo que sempre foi o mais audacioso, que se coloca à frente, disposto a dar a sua vida por Jesus, mas que, quando colocado à prova, negou o Senhor.

Muitas vezes, parecemos ser corajosos e audaciosos, mas quando a vida nos coloca na verdadeira prova, negamos, ignoramos, desconhecemos, temos medo, receios e não estamos dispostos dar a nossa vida por Jesus até o sangue, como Pedro na sua fraqueza se manifestou.

Que hoje aprendamos a colocar a nossa “barba de molho” para revermos nossas posturas de discípulos e seguidores de Jesus.

Deus abençoe você!

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".