O Pão que desce do Céu alimenta a nossa alma

“Pois o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo” (João 6,33).
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Jesus está nos apresentando o verdadeiro pão, o verdadeiro alimento. Já acordamos sedentos e famintos, passamos o dia pensando no que vamos comer, mas há uma sede mais profunda, há uma fome que inquieta a nossa alma e o nosso coração e, muitas vezes, descontamos nos alimentos do cotidiano aquilo que é a sede mais profunda da alma, aquilo que é a fome mais funda do coração do homem.

Partimos para os alimentos, para as bebidas; outros partem para o cigarro, para as drogas, para uma sexualidade errada, aquilo que é a fome que o nosso interior tem.

A nossa alma e o nosso coração estão sedentos da verdade e da eternidade, o nosso coração e o nosso interior têm sede do verdadeiro alimento, têm sede de algo que sacie aquilo que dentro de nós está vazio. E preenchemos com os alimentos desse mundo a sede que é eterna, a fome que é infinita dentro do nosso coração.

Só Deus pode saciar a nossa fome, só o amor divino pode saciar a nossa sede, por isso, Jesus está afirmando que o Pão que desce do Céu é aquele dá vida, é aquele que sacia e, verdadeiramente, alimenta a fome e a sede da alma.

Precisamos nos voltar para Aquele que é o Pão da Vida

É preciso dizer, de forma categórica, que precisamos nos alimentar de Deus, precisamos nos preencher d’Ele. Precisamos deixar que aquela sede e vazio que estão em nós nos sacie de Deus, porque senão iremos nos alimentar dos alimentos e elementos do mundo que são até paliativos, ou seja, iludem, enganam, disfarçam, mas não resolvem. Você está com sede, toma tanta coisa, toma refrigerante, isso e aquilo, mas não resolve, você apenas engana a sua sede, porque há uma sede muito mais profunda e inquieta que perturba o nosso ser.

Precisamos nos saciar de Deus, nos preencher d’Ele porque precisamos nos voltar para Aquele que é o Pão da Vida.

Recebemos Jesus na Eucaristia, na Palavra, na prática do amor, mas é mais do que receber, é se alimentar, é saciar-se, não é esperar que assim como eu como um pão e esse já me enche, me preenche, não é simplesmente esperar que abrindo a Bíblia ou comungando a Eucaristia, de uma forma mágica, já estarei todo resolvido.

A Eucaristia é Jesus quem entra em nós, mas precisamos entrar na Eucaristia, mergulhar a nossa vida na Eucaristia. A Palavra de Deus é Ele quem entra em nós, mas eu preciso entrar na Palavra, penetrar nela, mergulhar, me saciar e me entregar a ela para que a obra de Deus vá se realizando, vá saciando, vá preenchendo os vazios da minha alma e do meu coração.

Não seja simplesmente aquela pessoa que foi à Missa, que comungou, mas não entrou em comunhão com Deus; não seja aquela pessoa que abriu a Bíblia, mas não contemplou, não entrou na ação renovadora de Deus na alma e no coração.

É preciso ter comunhão com Deus, e comunhão com Ele é mergulhar a nossa vida em Deus e deixar que Ele esteja presente em todas as áreas da nossa vida, é saciar-se, preencher-se e alimentar-se d’Ele, é viver na presença de Deus em tudo que realizarmos nessa vida.

É preciso saciar-se do pão que dá vida e traz sentido para a nossa existência.

Deus abençoe você!

Por: Canção Nova

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".