Dia da Terra: “Estamos no limite. É hora de agir”, afirma o Papa

Para o Pontífice, a adversidade que estamos vivendo com a pandemia, e que já sentimos com as mudanças climáticas, deve nos impulsionar a inovar, a inventar, a buscar novos caminhos. A videomensagem do Papa foi transmitida no Encontro organizado por ocasião do Dia Internacional da Terra.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Não temos mais tempo para perder, como demonstram duas catástrofes globais: o clima e a Covid. Na videomensagem em espanhol para o Dia Internacional da Terra, o Papa Francisco renova seu convite a agir para preservar o meio ambiente.

A mensagem tem início com um apelo para não deixar cair no esquecimento as já conhecidas recomendações para tutelar o planeta. “Há tempos estamos nos conscientizando sempre mais de que a natureza merece ser protegida, também pelo simples fato de que as interações humanas com a biodiversidade de Deus devem ocorrer com a máxima atenção e com respeito. Aspectos estes que se tornaram ainda mais evidentes com a pandemia.”

O alerta da Covid-19

Francisco menciona o que aconteceu quando, por causa das excepcionais restrições impostas por governos nacionais para controlar a crise, o mundo mudou de ritmo. Para o Santo Padre, tratou-se de um modo “tristemente positivo” de perceber o impacto da desaceleração na natureza e nas mudanças climáticas, mesmo que por poucos meses. Em outras palavras, a mudança exige o comprometimento de todos, de formas múltiplas, mas inequivocáveis.  

“É o momento de agir, estamos no limite.”

O Papa cita um antigo ditado espanhol: “Deus perdoa sempre, os homens perdoam de vez em quando, a natureza jamais perdoa”. E quando tem início esta destruição da natureza, é muito difícil parar.

“Mas ainda estamos em tempo”, afirma confiante Francisco. E seremos mais resilientes se trabalharmos juntos ao invés de fazê-lo sozinhos.

Para o Pontífice, a adversidade que estamos vivendo com a pandemia, e que já sentimos na mudança climática, deve nos impulsionar a inovar, a inventar, a buscar novos caminhos. De uma crise não se sai iguais, repetiu. Saímos melhores ou piores. “Este é o desafio. E se não sairmos melhores, percorreremos um caminho de autodestruição”, adverte.

Mas ainda há tempo

A humanidade, portanto, pode mudar o decurso dos eventos para proteger a Criação. Francisco renova seu apelo a todos os líderes do mundo para que atuem com coragem, com justiça e digam sempre a verdade às pessoas, para que saibam como se proteger da destruição do planeta e como proteger o planeta da destruição.

Por: Canção Nova

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".