Mês de Maria: pede à Mãe que o Filho atende

Ela é a Mãe da Igreja, a mãe que intercede por nós junto a Jesus. Como nas Bodas de Caná, ela continua a ver nossas necessidades e levá-las ao Filho
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Maria foi a primeira anunciadora do Filho, ao visitar sua prima Isabel, é portadora da alegria da boa-nova e da luz do Espírito Santo.

Foi pela fé que ela, ao dar à luz a Jesus, entre os animais em um estábulo, acreditou que ele era o Filho de Deus. E, quando o viu maltratado e crucificado, acreditou que ele era o Salvador. Humilde e obediente, Maria se sujeita à lei mosaica da purificação, embora o mistério da concepção e do parto virginal a preserve de qualquer impureza e apresente no Templo, Aquele que é o Filho de Deus, o próprio Deus (Lc 2,22-24).

Maria: exemplo de fé e confiança

Foi pela fé e confiança em Deus que se manteve firme quando ouviu do velho Simeão a profecia, que mãe nenhuma suportaria ouvir com resignação: “Eis que este menino vai ser causa de queda e elevação de muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição. Quanto a você, uma espada há de atravessar-lhe a alma. Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações” (Lc 3,34-35).

Também foi a fé, confiança e esperança em Deus que a motivou quando precisou fugir para o Egito com o Menino Jesus nos braços para salvá-lo da morte pelo extermínio, que Herodes ordenou se fizesse aos recém-nascidos (Mt 2,13-14).

No acontecimento do Calvário, aos pés da cruz, o Evangelista João (que esteve ao seu lado) mostra a mãe, mulher forte, junto do Filho, em pé, acolhendo o legado de mãe da humanidade, que Jesus deixou em Suas palavras: “Filho, eis aí tua mãe. Mãe, eis ai teu filho” (Jo 19,25-27).

Missão de Mãe

Maria sentiu a dor e a profunda solidão ao ver Seu Filho morrer. Muitas mulheres se identificam com ela no sofrimento de perderem seus filhos e nela encontram o conforto, o consolo e a força de superar. Pela fé acreditar que com Cristo e em Cristo podemos tirar e esperar algo bom das grandes tribulações, como Maria esperou a madrugada da ressurreição, como da Cruz brotou nossa salvação.

Maria continuou com sua missão junto aos apóstolos: “Ao final desta missão do Espírito, Maria torna-se a ‘Mulher’, nova Eva, ‘mãe dos viventes’, Mãe do ‘Cristo total’. É nesta qualidade que ela está presente com os Doze, ‘com um só coração, assíduos à oração’ (At 1,14), na aurora dos ‘últimos tempos’ que o Espírito vai inaugurar na manhã de Pentecostes, com a manifestação da Igreja” (CIC 726).

Maria, a Mãe da Igreja

Ela é a Mãe da Igreja, a mãe que intercede por nós junto a Jesus. Como nas Bodas de Caná, ela continua a ver nossas necessidades e leva-las ao Filho, ao mesmo tempo continua sempre a nos dizer: “Façam tudo o que meu Filho vos disser” (cf. Jo 2,5).

Enfim, termino citando São Francisco de Sales: “Não existe devoção a Deus sem amor à Santíssima Virgem”. Então que nesse 1 mês com Nossa Senhora possamos aumentar nosso amor a Maria e obediência a seu Filho, Jesus.

Aproveito para convidá-los a acompanhar uma ação especial que preparei para o mês mariano: Um mês com Nossa Senhora – “Pede a Mãe que o Filho atende”. Será um mês repleto de orações para nossa amada Mãe durante o programa ‘Experiência de Deus’ e também na Santa Missa do meio-dia, na TV Evangelizar. Clique aqui para participar.

Aleteia

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".