Missão do catequista reconhecido como ministério estimula comunidade a aprofundar a fé

O ministério de catequista na Igreja entra em vigor nesta terça-feira (11) conforme estabelecido na carta apostólica em forma de Motu proprio “Antiquum ministerium” do Papa Francisco. O arcebispo do Rio do Janeiro, dom Orani João Tempesta, acredita que esse reconhecimento vai incentivar ainda mais as pessoas no aprofundamento da fé.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Ouça a reportagem e compartilhe

O Papa Francisco, com o Motu proprio “Antiquum ministerium” que institui o ministério laical de catequista e “olhando para a vida das primeiras comunidades cristãs”, procura reconhecer a missão evangelizadora daquele que o Pontífice descreve logo no início da carta apostólica como um “ministério antigo na Igreja” – já que os primeiros exemplos foram encontrados ainda nos escritos do Novo Testamento. Devido “à renovada consciência da evangelização no mundo contemporâneo e à imposição de uma cultura globalizada, que requer um encontro autêntico com as jovens gerações”, como afirma Francisco, a instituição do ministério nesta terça-feira (11) àqueles que dedicaram a vida à difusão do Evangelho é também um estímulo à Igreja.

Reconhecimento de ministério vai refletir na comunidade

O arcebispo do Rio do Janeiro, dom Orani João Tempesta, acredita que o serviço de ensinamento do catequista agora sendo reconhecido como ministério na Igreja vai incentivar ainda mais as pessoas no aprofundamento da fé:

“O ministério para os catequistas é um assunto que já há muito tempo vinha sendo estudado e aprofundado. E já consta em alguns documentos à procura de encontrarmos os caminhos para que os catequistas que exercem uma grande missão, um grande trabalho, pudessem justamente ser reconhecidos como ministério. Por isso, neste momento em que o Papa Francisco, com o seu Motu proprio, institui o ministério de catequista, tenho certeza que aquilo que é um trabalho muito importante na Igreja, ainda mais agora oficializando como ministério na Igreja, será um bem muito grande que ajudará nessa nossa caminhada para que, além do primeiro anúncio – o querigma – o trabalho de catequese, de aprofundamento da fé, seja ainda mais para levar o nosso povo, as pessoas na Igreja, a viver ainda melhor também o conhecimento e o aprofundamento da fé e, assim, ver com mais clareza a sua vida cristã.”

Andressa Collet – Vatican News

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner
INFORMATIVO
banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".