Estejamos sempre sob a proteção da Virgem Maria

“‘Mulher, este é o teu filho’. Depois disse ao discípulo: ‘Esta é a tua mãe’” (João 19,26-27).
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Ontem, celebramos o dia de Pentecostes, a grande festa da Igreja, a Igreja nascente, a Igreja que é guiada e conduzida à alma da Igreja: o Espírito Santo. E, hoje, temos a graça de celebrar Maria, a Mãe da Igreja.

Como é importante, porque a Igreja nasceu primeiro do lado aberto de Cristo Jesus na Cruz, porque do Seu lado aberto saiu sangue e água, os Sacramentos da Igreja, o alimento da Igreja. A Igreja se alimenta da Eucaristia, a Igreja se fortalece e se purifica na graça do batismo. Esses dois Sacramentos que saem do lado aberto de Cristo.

Mas lá na cruz, o próprio Cristo que nos deu os Sacramentos deu-nos a Mãe da Igreja, porque Ele, a cabeça da Igreja, tem em Maria a Sua Mãe. Ao seu lado estava o discípulo, e quando falamos o “discípulo”, o discípulo João representa cada um de nós, sejam os discípulos foragidos, sejam os discípulos que estavam ali em pé como ele, mas representa a Igreja que é mãe e tem seus filhos.

Uma vez amando a Igreja e sendo filhos da Igreja, amemos a Virgem Maria, sejamos filhos dela

Os filhos da Igreja não estão sozinhos, porque nós filhos temos uma mãe, essa mãe se chama: Virgem Maria. Ela mesma recebeu isso como missão: “Mulher, eis aí teu filho”. (João 19,26)

Naquela Igreja nascente, reunida em Pentecostes, reunida no Cenáculo, estavam todos reunidos com Maria, a Mãe de Jesus; estavam reunidos com Maria, que era o consolo, o amparo, que era a força. Como ela foi na vida do Seu Filho Jesus, ela é também na vida dos seguidores de Jesus, ela é a primeira seguidora de Jesus. Como primeira discípula e seguidora, o próprio Jesus a torna mãe da Sua Igreja.

Que beleza e que graça! Nós sempre correlacionamos a figura de Maria à figura da Igreja, e a Igreja à figura de Maria. A Igreja, como aquela que gera filhos para Deus, a Mãe Igreja; Maria, aquela que gerou o Filho de Deus para nós, mas é também Mãe de todos nós.

Amemos a Igreja, sejamos filhos da Mãe Igreja. E uma vez amando a Igreja e sendo filhos dela, amemos a Virgem Maria, sejamos filhos dela. Caminhemos nessa condução da graça, pois assim nunca nos perderemos, porque a Mãe é aquela que acalenta, que ensina e conduz Seus filhos sempre para o caminho da graça, ainda que, algumas vezes, se extraviem pelas estradas da vida.

Ó Mãe Santíssima, Mãe da Igreja, a ti confiamos, rogamos por toda Igreja e por todos nós, para que sejamos seus filhos e estejamos sempre sob a sua proteção. Maria, Mãe da Igreja, rogai por nós!

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner
INFORMATIVO
banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".