O autor da verdadeira felicidade é Deus

“Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus” (Mateus 5,3).
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

As bem-aventuranças que o Evangelho nos apresenta devem fazer parte, acima de tudo, das nossas metas de vida, porque o anseio maior do coração humano é a felicidade.

Deus quer a nossa felicidade. Às vezes, vejo pessoas pregando a tristeza, pregando em nome de Deus. Temos que nos submeter à tristeza? Não! Não se submeta à tristeza, porque ela não vem de Deus, e ela mata. Deus quer que sejamos felizes, mas o sentido de felicidade para Ele não é o sentido humano e mundano.

O sentido de felicidade é d’Aquele que é o Autor da verdadeira felicidade: Deus. Por isso, os valores evangélicos, muitas vezes, contrapõem-se aos valores humanos, porque o primeiro valor evangélico é o desprendimento.

Aprendemos, no mundo em que estamos, a nos apegar, a termos e possuirmos cada vez mais. Toda pessoa que é apegada a bens e pessoas é sofrida e machucada, não encontra o sentido de ser feliz. Aqui, não é uma questão de ter ou não bens, a questão é onde colocamos o nosso coração.

Feliz é aquele que traz a verdadeira felicidade que está na paz, na união e na concórdia

Não há felicidade na ambição, na avareza, na cobiça, não há felicidade em ter por ter, e cada vez querer ter mais. Experimente a felicidade de um coração que sabe partilhar, dividir e cuidar. Experimente ser feliz e bem-aventurado tendo um coração desprendido e pobre.

Se você vier a ter todos os bens deste mundo, não se apegue a nenhum deles. Sei que a pessoa sente-se a mais feliz do mundo porque adquiriu a casa, conseguiu aquele carro. Tudo isso é passageiro, por isso cuide, lute para ter, só não coloque o seu coração no “ter”, porque ele passa. Agora, o que nós somos, seremos para sempre. A felicidade está em desprender-se.

Bem-aventurados e felizes quem passa por aflição, porque Deus consola o coração aflito. Geralmente, quem passa aflição é por causa do bem, da justiça, da verdade e o consolo da sua aflição é o coração de Deus.

Bem-aventurados todos aqueles que exercem misericórdia para com os outros. Como é feliz o coração que sabe ser misericordioso, porque triste é o coração maldoso, rancoroso; triste é o coração que vive da mágoa, do ressentimento e do rancor, mas o coração que se enche de amor desdobra-se em misericórdia para com o outro.

É feliz quem sabe promover a paz, porque no mundo onde se multiplica dilaceram-se as discórdias, as divisões, as desuniões; onde as pessoas estão brigando por tudo, feliz é aquele que traz a verdadeira felicidade que está na paz, na união e na concórdia.

Quem tem um coração pacífico tem um coração puro, e os puros vêm a Deus. Aqui é uma pureza de ter um coração que não se mistura, não se contamina, não vê maldade, não a promove nem é movido por ela. Que beleza aproximar-se dos corações puros, que são recheados de intenções purificadas no coração de Deus! Os corações purificados não só trazem Deus para nós, mas nos levam para perto d’Ele.

Deus nos quer felizes e nos apresenta o programa da felicidade que se chama: bem-aventuranças.

Deus abençoe você!

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner
INFORMATIVO
banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".