O amor é a lei mais sublime do Evangelho

“Eu, porém, vos digo: Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda!” (Mateus 5,39).
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Jesus está sendo questionado a respeito da vingança, do “olho por olho, dente por dente”. É o primeiro princípio de justiça que está, inclusive, no Antigo Testamento.

Os homens com seus sentimentos animalescos queriam, muitas vezes, fazer mal ao outro. “Então, se quero me vingar de quem me fez mal, eu vou lá e acabo com essa pessoa”. Você pensa naqueles que tinham uma vida primata e chegou a lei para dizer: “Se uma pessoa te arrancou um dente, você só pode arrancar um dente dela”. “Se a pessoa te arrancou um olho, você só pode arrancar o olho dela”.

Foi a maneira de uma forma primitiva, dando direção e pedagogia ao coração humano, porém, o que deve guiar sempre a conduta humana é o amor, o amor antecede a lei. Ainda que aprendamos primeiro a lei, porque ela permite colocar ordem na vida, organização, mas o princípio da lei, a maior lei é o amor.

Por isso, o Senhor Jesus vem nos ensinar que, por maior que seja o nosso desejo de sermos justos, legalistas, justiceiros muitas vezes, se quisermos viver a perfeição evangélica, o amor deve guiar as nossas ações.

Reaja com amor a quem não te deu amor, essa é a lei mais sublime do Evangelho

Se uma pessoa arrancou o nosso olho, não é para arrancarmos o olho dela, porque você imagina o que isso vai virando. Porque mais do que perder o olho, é perder o coração; porque o coração tomado pelo ódio, pela vingança, pelo rancor, é um terror, é um coração sem vida, é uma vida amargurada, sem sentido que, cada vez mais, vai se amargurando e se azedando. À medida em que cultivamos o ódio, o rancor, mas, sobretudo, à medida em que cultivamos a vingança dentro de nós, o coração vai se dilacerando e se estragando.

As pessoas podem nos fazer o mal, mas o mal só fica em nós se permitirmos que Ele permaneça. As pessoas podem nos desejar mal, mas o desejo do mal não tem efeito nenhum se eu não compro, não guardo, se não assimilo e não levo para dentro de mim, o mal que o outro me fez.

Se quero desmontar alguém – porque, muitas vezes, queremos desmontar as pessoas – é retribuirmos o contrário: ela nos fez o mal? Retribuímos com o bem. Ela fala mal de nós? Falemos bem dela, queiramos bem a ela, desejemos o bem a ela, mostremos que o que está em nós (que é Deus) é maior do que o que está nela (o mal), sem precisar julgar e nem se colocar acima de ninguém.

É ter convicção daquilo que nós cremos, acreditamos, daquilo que seguimos. Se nós seguimos a lei do amor, sejamos movidos pelo amor, agora se nós seguimos o mal, a vingança, o “dar o troco”, “dar o olho por olho”, vai guiar as nossas ações e reações.

Reaja com amor a quem não te deu amor, essa é a lei mais sublime do Evangelho!

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

 

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

finados3
banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".