Cardeal Rosa Chávez sobre direito à água: o que “está em jogo é a vida das pessoas”

"Se a lei não é como pensamos que deveria ser, a luta deve continuar, porque a vida das pessoas está em jogo", diz o cardeal, que enfatiza: "esta questão não podemos deixá-la de lado." Também está pendente na Assembleia Legislativa a ratificação constitucional de uma reforma que reconhece o acesso à água e ao saneamento como um direito. A medida, aprovada pela legislatura anterior, requer 56 votos para entrar em vigor. Centenas de salvadorenhos foram à Assembleia Legislativa para exigir a ratificação desta reforma constitucional.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Ouça a reportagem e compartilhe!

El Salvador. O cardeal salvadorenho Gregorio Rosa Chávez disse em entrevista coletiva esperar que a iniciativa da lei sobre a água que o governo apresentará contenha os avanços feitos na proposta apoiada e elaborada pela Igreja católica e organizações ambientais.

“Esperamos que não acabe no lixo, porque é algo muito bem elaborado, para que as pessoas tenham a água como um direito humano fundamental“, frisou o purpurado, que desde fevereiro de 1982 é bispo auxiliar de San Salvador.

Excluído projeto proposto pela Igreja e organizações

O presidente salvadorenho Nayib Bukele anunciou nesses dias que o tema da água será tratado na Assembleia Legislativa e falou sobre um projeto em particular.

O cardeal Rosa Chávez disse não conhecer o conteúdo do projeto, mas espera que “seja levado em conta o que foi feito até agora”, e chamou de “irresponsável” a forma como foi deixado de lado o projeto proposto pela Igreja e organizações ao qual faltava somente uma assinatura.

Acesso à água e ao saneamento como um direito

“Se a lei não é como pensamos que deveria ser, a luta deve continuar, porque a vida das pessoas está em jogo”, disse ainda o cardeal, que enfatizou: “esta questão não podemos deixá-la de lado.”

Também está pendente na Assembleia Legislativa a ratificação constitucional de uma reforma que reconhece o acesso à água e ao saneamento como um direito. A medida, aprovada pela legislatura anterior, requer 56 votos para entrar em vigor. Centenas de salvadorenhos foram à Assembleia Legislativa em 8 de junho para exigir a ratificação desta reforma constitucional.

(com Fides)

 

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".