Jesus liberta a nossa vida do poder do demônio

“Então, a cidade toda saiu ao encontro de Jesus. Quando o viram, pediram-lhe que se retirasse da região deles” (Mateus 8,34).
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

É Jesus que vai à região dos gadarenos. E, ao Seu encontro, dois homens desesperados possuídos pelo demônio, que estavam presos aos túmulos, foram ao encontro do Senhor clamando pela libertação, clamando para serem restaurados.

Aqueles homens eram tomados por demônios tão violentos que ninguém nem ousava passar perto deles. Eles eram tão brutos porque os demônios agitavam tanto aqueles homens, que eles, de fato, se tornavam violentos demais.

Jesus expulsa os demônios daqueles homens, mas aqueles demônios eram tantos, eram tantas realidades infernais e demoníacas que infernizam a vida daqueles dois homens, que aqueles demônios se agitaram tanto para sair deles, que pediram os próprios demônios para irem aos porcos.

Os demônios tornam a nossa vida suja, pensamentos sujos e maldosos, pensamentos impuros e tortuosos

Você sabe que, na cultura judaica, os porcos simbolizam a impureza, eles nem comem carne de porco porque o porco é um animal impuro e sujo, e o que os demônios estavam fazendo era tornar aqueles homens sujos, impuros e imundos. Estavam, de fato, lameando a alma deles como os demônios fazem com nossa vida.

Eles tornam a nossa vida suja, pensamentos sujos e maldosos, pensamentos impuros e tortuosos, e de uma forma profética estava ali os porcos que, ao mesmo tempo, faziam parte da economia daquela cidade, daquela região, que era os gadarenos.

Jesus não pensou duas vezes, tirou os demônios daqueles homens e jogou aos porcos, e os porcos tomados por aqueles demônios se atiraram monte abaixo e afogaram-se nas águas do mar.

Um espanto tomou conta de todos, mas qual foi o espanto? O espanto foi por causa dos porcos ou por causa dos dois homens libertos? Depende de quem está olhando; quem está preocupado com a sua economia ou com seu bolso, o espanto é com os porcos, com a manada de porcos que foi embora. Agora, quem está preocupado com o ser humano, quem está preocupado com a pessoa humana, está se rejubilando porque Jesus libertou duas vidas humanas do poder do mal.

O que vale uma manada de porcos diante de duas vidas que são libertas? Mas aqui é o “espírito de porco”, aqui é o espírito humano sujo, quando o ser humano só pensa em si, nos seus valores, nos seus bens e nas suas posses.

Expulsam a Jesus daquela cidade porque, para eles, os porcos são mais importantes do que os dois homens que são libertos do poder do mal. Se aqueles dois homens morressem, porque praticamente já tinham morrido, por eles já estavam até no cemitério. Jesus tirou aqueles homens do cemitério, da porta da morte e os libertou.

O que é mais importante para nós? O que é importante para a vida humana? E que lugar ocupa hoje o ser humano, o ser humano jogado, largado, que está hoje desprezado? Nós estamos mais voltados para a nossa economia, para os porcos ou estamos voltados para cuidar da criatura humana, tão singular no coração de Deus?

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

 

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".