Nossos pecados paralisam a nossa relação com Deus

“Coragem, filho, os teus pecados estão perdoados!” (Mateus 9,2).
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Nas travessias que Jesus fazia no lago de Genesaré, as multidões acorriam a Ele com problemas, dramas, enfermidades, com todas as situações próprias da vida humana, e todas essas situações eram apresentadas para o Senhor. Mas levaram até Ele um paralítico deitado numa cama. É óbvio que aquele paralítico sozinho não conseguiria chegar até Jesus, mas fizeram questão de levá-lo à presença do Mestre.

Jesus, vendo aquele homem, disse: “Coragem!”. A “coragem” é, na verdade, uma atitude evangélica que exige fé da nossa parte, exige disposição para vencermos nossas próprias fraquezas e  não nos rendermos nem nos entregarmos ao desânimo. Porque todo desânimo, ou seja, a perda do ânimo, a perda da alma, do sabor da alma, do sabor da vida deixa-nos paralisados.

Você sabe o que é uma vida paralisada, porque, sim, existem as paralisias físicas por diversos motivos, situações e realidades, mas a mais triste é a paralisia da alma, do coração, é a perda do ânimo quando não conseguimos fazer nada, pensar em nada, acreditar em nada; e ficamos inertes em relação à vida.

Digamos “não” ao pecado, digamos “sim” à vida, à graça e ao amor de Deus

Por isso, precisamos da coragem que a fé pode nos dar, a coragem da fé para nos levantar. Mesmo em meio às situações contrárias e contraditórias, mesmo em meio às adversidades todas que enfrentamos na vida, precisamos, de pé, manifestar a nossa fé.

Precisamos de fé para vencer todas as batalhas da vida; não podemos ficar paralisados, prostrados nem desanimados diante das situações todas. E é por isso que o Mestre está dizendo: “Filho, os teus pecados estão perdoados”.

Se nós vamos acumulando pecado sobre pecado, vamos acumulando, inclusive, os “pecadinhos”, eles vão paralisando as áreas da nossa vida. São os nossos pecados que paralisam o nosso amor para com próximo; são os nossos pecados que paralisam a nossa relação com Deus; são os nossos pecados que paralisam o nosso próprio progresso interior.

Apresentemos, diante de Jesus, do jeito que estamos, os nossos pecados, apresentemos a Ele tudo aquilo que está paralisando a nossa vida: nossos medos, receios e temores, mas tantos outros dissabores, como nossos ressentimentos, nossas mágoas, rancores, nosso egoísmo, nosso orgulho, nossa soberba. São verdadeiras paralisias para a nossa vida.

Coragem! Digamos “não” ao pecado, digamos “sim” à vida, à graça e ao amor de Deus, porque Ele quer nos levar mais adiante.

Deus abençoe você!

 

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".