Testemunhemos ao mundo o Evangelho que nos conquistou

“Todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus” (Mateus 10,32).
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Precisamos testemunhar Jesus em nossa vida pelos atos, pelas atitudes, pelo amor, e dizer: “Sim, eu sou servo do Senhor. Eu sou discípulo do Senhor”, porque o contrário nós também podemos negar pelas atitudes, pelos atos, pelo fato de só sermos cristãos quando nos é conveniente, pois, no mundo onde nós estamos, de tantos relativismos, às vezes estremecemos, temos medo de assumir aquilo que cremos. Aqui, não é “carolice”, “beatice”, aqui é fé, é atitude de homem e de mulher que segue Jesus.

O discípulo não é mais do que o seu mestre; o discípulo, como diz Jesus, é menor que o mestre, portanto, se o mestre se tornou servo, o discípulo tem que ser mais servo ainda, tem que servir aos outros, servir aos irmãos e não ter medo de ser repreendido, de não ser aceito, acolhido nem amado.

Testemunhemos com fé, ousadia, coragem e verdade o Evangelho que nos conquistou, que nos salvou e redimiu

Diante de tanta carência que o mundo vive hoje, só procuramos aquilo que nos traz créditos, aplausos e reconhecimentos. Sabe, às vezes, vejo que as pessoas gostam do que eu falo, do que eu escrevo. Alguns até aplaudem, curtem e dizem: “Padre, o que o senhor fala me edifica!” “Que bom! O senhor pensa como eu penso!”. Aí, de vez em quando, eu gosto muito de decepcionar, mas aqui “decepcionar” não é contratestemunhar.

Decepcionar é não fazer aquilo que as pessoas querem ou seguir os gostos delas. Isso é da tendência do mundo, porque é ele que pesquisa o que as pessoas gostam para satisfazer o apetite delas. O servo do Evangelho não está aqui para satisfazer o apetite das pessoas, mas para satisfazer a sede e a fome delas. É diferente: apetite é uma coisa, fome é outra.

A nossa fome é de Deus, e, muitas vezes, para saciar a fome, temos que comer uma comida que não seja muito agradável ou tomar um remédio que seja muito amargo. Por isso a nossa missão é levar a Palavra, mesmo que ela seja dura, mesmo que ela, muitas vezes, doa ou que as pessoas não vão concordar, mas é o remédio que precisamos tomar.

Testemunhar é uma missão que exige sacrificar-se na própria carne para testemunhar coerência e verdade àquilo que você, de verdade, acredita. Aquilo que ouvimos de Deus na intimidade vamos proclamar de cima dos telhados; aquilo que, na escuridão do coração e da alma, Deus realizou em nós, vamos proclamar na claridade do mundo o que Ele realiza em nossa vida.

Testemunhamos Deus nos meios que Ele nos dá, porque já tem gente demais falando sobre as coisas do mundo, não tem? Já tem gente demais divulgando notícias negativas e trágicas. Precisamos ser a sentinela da graça, um instrumento da salvação, precisamos ser a presença de Deus no mundo tão carente de salvação, e é por isso que Deus nos usa para sermos Seus instrumentos.

Não neguemos o amor de Deus que está em nós, mas testemunhemos com fé, ousadia, coragem e verdade o Evangelho que nos conquistou, que nos salvou e redimiu, porque o mundo está sedento desse Evangelho, e precisamos ser para este mundo esse instrumental da graça.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

finados3
banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".