Vocação: caminho de vida

Compreender quem é, e para o que é destinado, exige do ser humano percepção especial
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Há questões que marcam a história da humanidade: o que é o ser humano? Qual o sentido e tarefa do mesmo no mundo? Para o que é destinado? Diante de um mundo em constantes transformações, urge cultivar particular sensibilidade, pois novos desafios sempre se impõem ao ser humano situado no tempo, exigindo-lhe atenção para o mistério que caracteriza cada pessoa.

Compreender quem é, e para o que é destinado, exige do ser humano percepção especial para colher aquilo para o qual se sente convocado a desenvolver e atuar como capacidade e dom pessoal. Escolher o caminho de vida para o qual o coração se sente atraído e nele se lançar com todas as forças, não é tarefa fácil e simples. Isto requer capacidade de escuta interior e disposição para, talvez, buscar auxílio para realizar um caminho de discernimento.

Num tempo em que a própria sociedade privilegia o sucesso profissional e financeiro, torna-se desafiador propor a salutar necessidade de uma reflexão aprofundada para favorecer, sobretudo, aos jovens, opções de vida que possam fornecer-lhes o árduo itinerário existencial de desvendar e viver constantemente a relação com a totalidade da realidade: o mundo, os demais seres humanos e Deus.

Desde que o mundo deixou de ser transparente para Deus e a realidade passou a ser considerada a partir da força de transformação desenvolvida pelo trabalho humano, ou seja, pelo critério da profissionalidade, se reduziu drasticamente a compreensão da identidade, origem e destino do ser humano, que a fé cristã desenvolveu ao longo de quase dois milênios.

Urge favorecer o cultivo de uma consciência aguçada, capaz de perceber a importância de uma decisão de vida, que não abranja somente uma escolha profissional, mas, sobretudo uma forma de vida ou uma vocação. É que “profissão” está relacionada à função social, status, preparação técnica. Enquanto “vocação” demanda realização pessoal, chamado interior, paixão e amor pela forma de vida abraçada; trata-se de algo mais amplo.

A vocação está eminentemente orientada para um futuro. A profissionalização responde a uma necessidade no presente. Perguntar pela vocação de alguém é indagar pelo seu destino, felicidade, realização e salvação

Por Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner
INFORMATIVO
banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".