Respondamos ao convite que Deus faz ao nosso coração

“Então, os empregados saíram pelos caminhos e reuniram todos os que encontraram, maus e bons. E a sala da festa ficou cheia de convidados” (Mateus 22,10).
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Na parábola de hoje, Jesus compara o Reino dos Céus com a história daquele rei que preparou a festa de casamento para o seu filho. Veja, se você vai fazer a festa de casamento do seu filho, da sua filha, a primeira coisa que você se preocupa é com aquela famosa “listinha” de convidados. Você estabelece prioridades: quem é próximo, quem é amigo, quem são os padrinhos, e aí você os convida.

Que frustração é quando você pensa em alguém, quando você deixa de lado alguns e coloca aquele fulano, aquele outro, aquela outra como prioridade, e aquele que você pensou, que você teve amor e carinho para chamá-lo, ele te dá a desculpa de que não pode, que não vai dar, que tem outros compromissos ou fica muito feliz com o convite, mas não poderá estar. Sem contar aqueles que nem respondem que não poderão estar e nem comparecem. Eu penso, qual seja a frustração do coração de quem já preparou qualquer recepção e aqueles convidados fizeram pouco-caso, indiferença e nem deram a desculpa, muitas vezes, convincente.

Muitos fazem pouco-caso, se comportam com indiferença, não dão valor ao chamado, ao convite da graça

É preciso dizer que no Reino dos Céus é assim: Deus convida os seus filhos, Ele convida aqueles que parecem ser os bons, os mais sensatos e quanta gente dando desculpa: “Não posso”, “Estou ocupado”, “Tenho compromissos”.

Primeiro, é verdade que essa parábola é voltada ao povo de Israel que foram os primeiros convidados, foram os primeiros dignatários do banquete do Reino dos Céus. E o Noivo, o Filho, é o Filho de Deus, Ele veio… E quantos se comportaram, na época de Jesus, com indiferença!

Não tem problema! Já que os convidados não puderam vir, o pai mandou que os empregados saíssem para chamar todos aqueles que encontrassem pelas ruas, esquinas; e encheram a casa para a festa. Mas veja, mandou chamar e revestiu aqueles que estavam nas esquinas, jogados e desprezados, os revestiram com a roupa da dignidade, os revestiram com a roupa evangélica, os revestiram com o traje da festa dos Céus. Quem não era digno, Deus fez considerar-se digno.

Por isso, no Reino dos Céus, não há distinção entre quem é bom e quem parece bom, entre quem é justo e quem parece ser injusto. Todos são convidados, nós é que somos pessoas seletivas e, muitas vezes, discriminatórias; nós é que relativizamos e deixamos as pessoas de lado.

Deus não exclui ninguém, todos são convidados, todos são chamados. É preciso dizer que muitos fazem pouco-caso, se comportam com indiferença, não dão valor ao chamado, ao convite da graça; e muitos se comportam como esse homem que chegou de improviso, mas estava lá sem a dignidade, sem a roupa, sem a preparação, sem a entrega, sem o traje oficial e, por isso, foi mandado embora da festa.

É preciso responder ao convite que Deus faz ao nosso coração a cada dia. Se essa palavra está chegando a você, é porque você é um convidado! Por favor, não faça pouco-caso, não dê uma de indiferente, não arrume desculpas, porque o Senhor te chama para o banquete, o Senhor te chama para fazer festa das núpcias reais do Seu Filho Jesus. Dê a melhor resposta e se prepare dignamente para isto.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

 

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner
INFORMATIVO
banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".