São Miguel Arcanjo: defensor da fé e da Igreja

Embora hoje em dia não se preste a devida e necessária atenção à devoção a São Miguel, ela se faz ainda mais urgente
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Embora hoje em dia não se preste a devida e necessária atenção à devoção a São Miguel, ela se faz ainda mais urgente

Ao longo do ano a Sagrada Tradição nos convida a vivermos tempos litúrgicos distintos. Em maio, por exemplo, reverenciamos o Sagrado Coração de Maria, e em junho, o de Jesus. Mesmo nestas épocas não precisamos nos afastar da devoção a São Miguel Arcanjo, cuja memória e comemoração se dão no mês de agosto.

As Sagradas Escrituras nos apontam a relação entre Miguel e os Sagrados Corações nas Revelações de São João:

Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher (…) estava grávida. Depois apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão vermelho (…). Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações pagãs com cetro de ferro (…).Houve uma batalha no céu. Miguel e seus anjos tiveram de combater o Dragão. O Dragão e seus anjos travaram combate, mas não prevaleceram (…) mas estes venceram-no por causa do sangue do Cordeiro e de seu eloquente testemunho” (Ap 12, 1-11).

Chefe dos anjos

Miguel, “aquele que se parece com Deus”, na Tradição da Igreja é o chefe dos anjos no céu: “Os Anjos – entre eles os Arcanjos São Miguel, São Rafael e São Gabriel – são criaturas divinas: “não existe nada que não deva sua existência a Deus criador”, explica o Catecismo da Igreja Católica (CIC 338). E a sua existência é uma verdade de fé expressa pela Bíblia Sagrada e pela Tradição da Igreja (cf. CIC 328)”. O título de Arcanjo refere-se a “anjo principal”, designando a importância dos arcanjos em sua missão.

Miguel aparece duas vezes no Antigo Testamento. Em Daniel (10,13) que diz: “Miguel, um dos grandes príncipes” e logo depois como “um grande príncipe”. É considerado o guardião celeste, o príncipe e guerreiro, que defende o trono celestial. Ele é também o defensor e protetor do Povo de Deus e Padroeiro da Igreja Católica. São Miguel Arcanjo é o chefe supremo do exército celestial, dos anjos que são fiéis a Deus. Ele é também o Arcanjo da Justiça e do arrependimento, e ainda como o grande combatente e vencedor das forças do mal.

São Miguel na Igreja

Em 2013, o Estado da Cidade do Vaticano foi consagrado a São Miguel Arcanjo, ao lado de São José. Desta forma, São Miguel é reconhecido oficialmente como defensor da Fé e da Igreja. Guerreiro celeste, protetor dos espadachins e dos mestres de armas, suas capacidades como juiz de almas também o tornaram patrono de todos os ofícios que envolvem o uso de uma balança: tais como comerciantes, farmacêuticos e padeiros. É também o patrono da polícia.

São Miguel aparece na arte litúrgica da Igreja como um anjo segurando uma espada (ou lança), um escudo e uma balança. Ora, quando se fala dos anjos, fala-se de espíritos que não possuem corpos, matéria. Então o que seriam esta espada, escudo e balança? É São Paulo quem nos responde:

Ficai alerta, à cintura cingidos com a verdade, o corpo vestido com a couraça da justiça, e os pés calçados de prontidão para anunciar o Evangelho da paz. Sobretudo, embraçai o escudo da fé, com que possais apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomai, enfim, o capacete da salvação e a espada do Espírito, isto é, a Palavra de Deus.” (Ef 6, 14-17)

É com estas armas que o Príncipe das Milícias Celestes luta e vence os anjos de satanás.

Assim, não só podemos, mas devemos venerar os anjos, “porque eles a ajudam em sua peregrinação terrestre e protegem cada ser humano” (cf. CIC 352).

Certos dessa tradição, os santos expressavam sua fé em seus escritos acerca de São Miguel. O Papa Pio IX certa vez escreveu: “São Miguel é quem tem maior capacidade para exterminar as forças malditas, filhos de satanás, que juraram a ruína da sociedade cristã”.

São Francisco e a quaresma de São Miguel

São Francisco de Assis também nutria uma especial devoção e foi o primeiro a praticar a quaresma de São Miguel. Ele costumava dizer que São Miguel “devia ser mais excelentemente honrado, pelo fato que este tinha o ofício de apresentar as almas a Deus” (2 Celano 197). Costumava rezar:

Senhor Jesus Cristo, rei da glória, livra as almas de todos os defuntos das penas do inferno e do profundo abismo, livra-as das faces do leão, a fim de que não seja presa do tártaro e não caiam nas trevas; mas que o porta-estandarte São Miguel as conduza à luz santa que um dia prometeste a Abraão e à sua descendência” (GIUDICI, M. Pia, Os anjos existem!).

Santa Joana d’Arc (1431) afirma que São Miguel foi um dos espíritos santos que a ajudaram e deram a ela a coragem de salvar a França durante a guerra dos 100 anos (1337-1455).

O Arcanjo Miguel nas Sagradas Escrituras

Assim, da mesma forma que São Miguel lutará na parusia, hoje combate por nós, protege-nos das milícias do inferno. Como príncipe dos anjos, lidera também nossos anjos da guarda que nos protegem a todo tempo, o tempo todo.

De acordo com as Escrituras Sagradas, São Miguel Arcanjo possui diversas tarefas, dentre as quais se destacam as seguintes funções:

1- Combater Satanás e todos os poderes do mal

2- Resgatar as almas dos fiéis que o demônio dominou, em especial na hora da sua morte.

3- Defender e proteger o povo de Deus, todos aqueles que creem nele.

Devoção e oração

Embora hoje em dia não se preste a devida e necessária atenção a essa devoção, ela se faz ainda mais urgente, pois vivemos em um tempo em que se perdeu o sentido do sagrado, do espiritual e do divino, sendo também resposta providencial de Deus às necessidades da humanidade. Os anjos são, dessa forma, um sinal da presença de Deus, de seu cuidado atento e constante. Estando diante de Deus, tão próximos a Ele, podem nos revelar Seu querer, Seus pensamentos, na medida em que essa mensagem nos auxilia em nosso caminho de santidade.

Por isso convido você a aprofundar o seu conhecimento na espiritualidade de São Miguel confiando a ele o cuidado de sua vida, de seus entes e amigos queridos e de suas causas. Una-se à comunidade de oração online: São Miguel Arcanjo – 40 dias para confiar a ele a sua vida, e consagre a São Miguel tudo o que você é e tem!

Deixemo-nos guiar por esses instrumentos de Deus na nossa vida, pois como afirmava São João Paulo II, “os anjos existem, são enviados pela Divina Providência, para que nos ajudem a alcançar a santidade de vida”. A maior importância dos arcanjos para nós é a santidade. Assim, nada melhor que, a cada dia, iniciarmos nossa jornada com a belíssima oração:

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate. 

Sede o nosso refúgio contra as maldades e ciladas do demônio. 

Que Deus manifeste o seu poder sobre ele. Eis a nossa humilde súplica. 

E vós, Príncipe da Milícia Celeste, com o poder que Deus vos conferiu, 

Precipitai no inferno Satanás e os outros espíritos malignos, 

Que andam pelo mundo tentando as almas. Amém. 

Wellington de Almeida Alkmin, pelo Hozana

Aleteia
Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner
INFORMATIVO
banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".