Permitamos que a autoridade de Deus esteja sobre nós

“As pessoas ficavam admiradas com o seu ensinamento, porque Jesus falava com autoridade” (Lucas 4,32).
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Jesus, que desceu para Cafarnaum — porque Ele estava vindo da sua cidade, Nazaré, onde não fora acolhido —, agora está na sinagoga de Cafarnaum ensinando aos sábados. O acolhimento é outro, as pessoas param para ouvi-Lo, e Ele fala com autoridade.

Preciso saber acolher e, quando acolho, a Palavra de Deus entra em mim, e ela tem autoridade sobre mim, sobre a minha vida, sobre os meus pensamentos, meus sentimentos, autoridade sobre os espíritos impuros. Permitamos que a autoridade de Deus esteja sobre nós, e nos submetamos a ela, para que a Sua graça seja atuante em nossa vida.

E é porque Jesus tinha autoridade que Ele expulsava os espíritos impuros. Aquele homem possuído por um demônio que gritava, Jesus expulsou aquele espírito impuro, Jesus o ameaçou: “Cala-te e sai dele!”; e o demônio lançou-se fora, saiu daquele homem. Por isso questionam: “Que autoridade é essa? Até os espíritos impuros o obedecem!”.

Submetamo-nos à autoridade de Deus, para que a Sua graça seja atuante em nossa vida

Não existe coisa mais dura para a nossa vida do que perdermos a autoridade; primeiro, a autoridade sobre a nossa própria vida, e perder a autoridade significa perder a autonomia. Está certo que uma idade mais avançada, à medida em que o tempo vai ou por motivo de doenças — por exemplo doenças degenerativas —, nós vamos perdendo a autoridade sobre o nosso próprio agir na vida, e os nossos comportamentos vão se tornando limitados; e sem auxílio, sem a ajuda de outros, não podemos viver nem sobreviver. Isso é um fato! Agora, nós estamos falando que a dureza da vida é, em sã consciência, perdermos a consciência da autoridade sobre a nossa própria vida.

Não mandamos nem na forma que comemos, não mandamos no nosso falar. Uma pessoa que não tem autoridade sobre a sua língua, a pessoa que não tem autoridade sobre os seus próprios instintos… Que dureza é essa!

Você que é pai, você que é mãe, nós que estamos à frente de qualquer coisa, não podemos perder a autoridade. Sei que alguns confundem autoridade com autoritarismo, mas aqui é autoridade moral, autoridade da vida, autoridade do comportamento que condiz com aquilo que falamos. Por isso é sempre importante ter a mão na consciência, revisar os atos e as atitudes para que tenhamos autoridade sobre nós, para que ajamos também com autoridade naquilo que Deus nos confiou.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

 

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

banner
INFORMATIVO
banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".