Cuidado com o que você deseja, pede e oferece!

Entenda por que a vida, mais cedo ou mais tarde, irá cobrar um preço pelos nossos sonhos, pedidos e atitudes
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Você deve ter cuidado com o que deseja, o que pede e o que oferece. Porque a vida pode te cobrar. E o que você deseja pode se tornar uma obsessão ou acabar tirando aquela paz que você pensava que alcançaria ao possuir o que queria. Os desejos não são maus nem bons.

Como li outro dia: “O desejo, como qualquer outra realidade, apresenta-se de forma ambígua. Certamente, pode levar ao mal, mas isso não o impede de se apresentar originalmente como um desejo para o bem.

Eu quero algo que me pareça bom. Sonho com isso. Eu me projeto querendo que seja uma realidade na minha vida.

Os desejos crescem continuamente no coração e movem minha vontade. O desejo de ter uma vida melhor e ser mais feliz. O desejo legítimo de satisfazer meus desejos. Esse desejo me move por dentro. Eu quero possuir o que ainda não é meu. A que preço?

Eu não sigo todos os meus desejos. Eu olho em meu coração, bem no fundo. O que eu mais quero? O que peço a Deus todas as manhãs?

Às vezes, desejos indizíveis estão contidos em meus pedidos. Minhas intenções – aparentemente puras – nem sempre são. Desejos insatisfeitos. As feridas me levam a desejar o que não escolhi. Esses desejos que podem me levar para fora do caminho tradicional.

O que é bom para mim?

Como posso saber exatamente o que é bom para mim? Raramente sei o que é realmente bom para mim.

Eu me volto à minha alma para ver o que choro por dentro. Deus atenderá minhas súplicas? Essas súplicas expressas ou aquelas outras silenciosas? Súplicas que sobem como incenso buscando a paz de Deus. Eu sou cuidadoso com o que desejo.

Uma vida pacífica nem sempre é uma vida feliz. Uma vida feliz tem sacrifícios.

O que é bom para mim é o que me fará feliz a longo prazo e moldará meu coração à imagem do coração de Jesus. Seus mesmos sentimentos, seus mesmos desejos. Como já passei dos anos, presumo que nem todos os meus desejos são legítimos e nem me levarão a uma vida de sucesso.

Deus quer meu bem

Mas outros sim, eu os admito, eu os levanto em forma de súplica aos pés de Deus. Ele tornará possível o que me parece distante e impossível. O amor de Deus quer meu bem, o melhor para minha vida. A alma se acalma.

Em momentos de êxtase, posso oferecer tudo a Deus. Cuidado, penso silenciosamente. Deus pode aceitar minha rendição.

É fácil oferecer toda a sua vida quando se tem apenas as próximas horas diante dos seus olhos. Mas então a vida é muito longa. Cuidado com o que ofereço. Não quero oferecer mais do que posso dar mais tarde. Não quero ficar acorrentado às minhas ofertas não atendidas. E não me faz bem fingir que estou dando tudo de mim, quando, com a outra mão, guardo o que é importante para mim.

Não prometer o que não se pode dar

Tenho bolas de ouro em minha alma que não estou disposto a abandoná-las. Já disse a Deus muitas vezes, para que ele saiba. Ele já sabe. E é por isso que parei de prometer o que não está em meu poder dar.

Só posso dizer a Ele que o amo agora e dou tudo a ele neste exato momento. O resto será um presente de Deus, não fruto do meu esforço. Eu prometo o impossível. E sonho com o inatingível.

E Deus me olha comovido, aquele olhar que já vi muitas vezes. Não há decepção na maneira como ele olha para mim. Só ternura, porque ele sabe que a minha voz exprime o que quero, mesmo que depois não esteja ao meu alcance.

Por isso faço minhas as palavras do Cardeal Sarah: “Quando te calares depois de receber a Sagrada Comunhão, não penses muito nem ofereças muitas orações ao Senhor. Em vez disso, fica ali, na presença de Jesus e diz-lhe: Meu Jesus, quem sou eu para estares aqui em mim? E na sua privacidade, maravilhe-se e admire”.

Oferecer limites

Tenho cuidado com o que ofereço a Deus. Dou minha vida, sim, mas com seus limites. Estou ciente da minha pobreza, da textura dos meus sonhos e desejos. Eu conheço todas as minhas inconsistências e incapacidades. Mas Deus me escuta e me acompanha.

Deus me ouve porque deseja tornar possível o impossível em minha vida. Ele quer que eu tenha paz na minha alma e nunca apague o sorriso dos meus lábios.

Gosto daquele Deus que não se deixa enganar pelas minhas orações bombásticas. Ele sabe como eu estou lá no fundo e não se emociona cada vez que dou tudo a ele. Ele conhece minha falta de jeito e conhece minha relutância.

Sonhar sempre

Mesmo assim, não me canso de sonhar, de esperar, de desejar até o que não me convém. E Deus fará minha vida para se adequar a ele, mesmo que doa dentro de mim.

É por isso que não deixo de desejar que o que li outro dia não aconteça comigo: “Nossos desejos podem nos distrair, não porque exigimos muito, mas porque nos contentamos com muito pouco, com satisfações modestas.”

Tenho tantos desejos para o mundo que não aspiro muito nesta vida. Eu me conformarei com muito pouco. Quero reconhecer minha pobreza e sonho das alturas, onde a alma encontrará a luz. 

Aleteia

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

finados3
banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".