Por que o corpo de São Francisco ficou escondido por quase 6 séculos

Um mistério que deu origem a várias histórias e lendas infundadas
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

São Francisco morreu em Assis, em 3 de outubro de 1226. Foi sepultado na igreja de São Jorge. Dois anos depois, ocorreu a sua canonização e o lançamento da pedra fundamental da basílica destinada a ele, também em Assis.

Em 1230, quando a basílica estava quase pronta, seu corpo foi trasladado para lá. Foi aí que surgiram inúmeras histórias e lendas sobre o “paradeiro” dos restos mortais do santo padroeiro dos animais.

Mas por que tanta confusão?

O que gerou tantas dúvidas e especulações foi o fato de o corpo de São Francisco ter sido sepultado em um lugar desconhecido dentro da basílica. A medida visava proteger o corpo de possíveis invasores, além de evitar danos aos restos mortais e a retirada de relíquias.

Para se ter ideia, como os fiéis não sabiam onde estavam os restos mortais, muitos saíram dizendo, inclusive, que São Francisco tinha ressuscitado.

O túmulo escondido de São Francisco

Diante de tantos questionamentos sobre onde estava a sepultura de São Francisco, o Cardeal Paolo Emilio Sfrondati determinou a busca pelo corpo. Entretanto, frades e fiéis convenceram o Papa Paulo V a assinar, em 1607, uma bula de proteção aos restos mortais do santo.

No entanto, no início do século XIX, o Papa Pio VII deu aos católicos a permissão para procurar o corpo.

Em artigo no jornal do Vaticano – L’Osservatore Romano -, Dom Felice Accrocca, historiador e especialista em estudos franciscanos, relatou como as buscas ao corpo aconteceram:

“A busca do corpo, que parecia impossível, começou novamente em 1806, quando o ministro geral dos Frades, Nicola Papini, com a ajuda de alguns frades, a conduziu no mais absoluto em segredo, trabalhando à noite e ocultando de manhã o rastro da busca, uma nova escavação. Entretanto, o avanço das tropas napoleônicas no território do Estado pontifício impediu esta obra e fez com que tudo fosse adiado para outros momentos melhores”.

Segundo o especialista, as equipes encontraram os restos mortais de São Francisco em 12 de dezembro de 1818.

Onde estava o corpo?

O corpo foi encontrado em um túnel sob o altar da basílica inferior. Estava em um sarcófago de pedra bruta de 1,2 tonelada, coberto com grande quantidade de barras de ferro. Tudo isso dificultava o acesso a ele.

Diz-se também que junto ao corpo estavam 12 moedas de prata, 29 grânulos, um anel, um pedaço de ferro, e uma pedra sobre a qual a cabeça de Francisco descansava.

Os restos mortais foram trasladados para o sepulcro público da basílica, que é aberto aos visitantes.

A Basílica de São Francisco

Visitar a Basílica de São Francisco em Assis, na Itália, é uma experiência ímpar. A igreja foi tombada como patrimônio da humanidade pela Unesco. Encontra-se no mesmo local onde o santo quis ser sepultado: uma colina que, na época medieval, tinha o nome de Collis Inferni (Colina do Inferno), pois ali eram enterrados os corpos dos condenados à morte. Depois, a colina recebeu o nome de Collis Paradisi (Colina do Paraíso).

A Basílica é uma fusão dos estilos arquitetônicos romântico e gótico. São dois níveis: o superior está enriquecido com importantes afrescos, entre eles, as 28 cenas que contam a vida de São Francisco e que foram pintadas por Giotto.

Já a basílica inferior é mais escura e silenciosa, um convite à meditação. E nao poderia ser de outra forma, já que lá está a cripta com os restos mortais de São Francisco.

Diante da tumba, há uma lâmpada que sempre fica acesa. Quem visita o local, pode acender uma vela e escrever uma oração ao santo.

Clique na galeria de fotos abaixo para conhecer um pouco deste lugar sagrado.

Basílica de San Francisco de Asís

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural:

finados3
banner-paroquia-nossa-senhora-gracas
encontro-matrimonio

Campanha da Fraternidade 2021

CRISTO É A PAZ: DO QUE ERA DIVIDIDO, FEZ UM unidade".