O lindo poema que Santa Teresinha escreveu ao anjo da guarda

Santa Teresinha estava doente e morreu sete meses depois de escrever este belíssimo poema
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Santa Teresinha do Menino Jesus tinha uma alma pura e infantil. Ela confiou em Deus durante todas as provações de sua vida.

A santa também reconhecia a orientação e proteção de seu anjo da guarda. Em 1897, compôs um poema não só para agradecê-lo, mas também para pedir ajuda. Santa Teresinha estava doente e morreria sete meses depois de escrever este poema.

Tu que brilhas no belo céu
Como uma pura e doce chama
Ao lado do trono do Eterno
Por mim tu desces à Terra
E iluminando-me com teu esplendor
Belo anjo, tu te tornas meu irmão
Meu amigo, meu consolador…

Conhecendo minha grande fraqueza,
Tu me diriges pela mão
E te vejo com ternura
Afastar as pedras do chão
Tua doce voz sempre me convida
A olhar apenas para o Céu.
Quanto mais me vês humilde e pequena
Mais  radiante fica tua face.

Ó tu que atravessas o espaço
Mais rápido que os relâmpagos
Eu te peço, voa em meu lugar
Para perto daqueles que amo
Com tua asa seca-lhes as lágrimas
Canta o quanto Jesus é bom
Canta que sofrer tem seu encanto
E baixinho, murmura o meu nome…

Eu quero, em minha curta vida,
Salvar meus irmãos, os pecadores
Ó belo anjo da Pátria,
Dá-me teus  santos ardores
Eu tenho apenas meus sacrifícios
E minha austera pobreza
Com tuas celestes delícias
Ofereça-os à Trindade.

A ti o Reino e a Glória
A riqueza do Rei dos reis
A mim a Hóstia humilde do cibório
A mim o tesouro da Cruz
Com a Cruz e com a Hóstia
E com tua celeste ajuda
Eu espero em paz as alegrias
Da outra vida, que durarão eternamente.

Aleteia
Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural: