JMJ 2023: vai começar a grande peregrinação em Portugal

Os símbolos da JMJ vão percorrer as dioceses de Portugal. A partir do Algarve vai ter início uma grande experiência espiritual na companhia da cruz peregrina e do ícone mariano “Salus Populi Romani”. Com acompanhamento em permanência no Vatican News.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Vêm de Espanha onde estiveram durante os meses de setembro e outubro. Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) vão atravessar o rio Guadiana passando em Ayamonte, de Espanha para Portugal, chegando ao Algarve.

Aquela diocese portuguesa vai acolher a cruz peregrina e o ícone mariano “Salus Populi Romani” a partir de 29 de outubro e durante todo o mês de novembro. Primeira etapa da grande peregrinação em Portugal.

Ouça a reportagem completa

Fomos falar com João Costa que é o responsável do Comité Organizador Diocesano (COD) algarvio. Declara que a presença dos símbolos pode ser a possibilidade concreta de ir a sítios onde de outra forma seria difícil entrar. Um verdadeiro dom e um estímulo para mudar a Igreja e as pessoas.

“É um estímulo muito grande para toda a juventude algarvia e não só. Muitas vezes refiro que a Jornada Mundial pode ser um dom para todas as dioceses e para a Igreja portuguesa. E a presença dos símbolos vai tornar cada vez mais real este dom. De mudar a nossa Igreja, de mudar as pessoas, mudar os jovens e poder chegar um pouquinho mãos longe e inovar, fazer coisas diferentes. E é isso sobretudo que a presença dos símbolos nos dá: a possibilidade concreta de ir a sítios onde de outra forma não conseguiríamos entrar; a possibilidade concreta de ir ter com pessoas que, se calhar, nunca se cruzariam na nossa vida; é a possibilidade concreta de Deus fazer história na vida de alguns que de outra forma sem os símbolos não conseguiríamos lá chegar” – afirma João Costa.

O jovem algarvio lembra que a peregrinação dos símbolos “não é só uma coisa presente nas redes sociais, mas “é um sonho tornado realidade”, sobretudo para os jovens integrados na JMJ.

“Para os jovens e as paróquias que já estão integradas na Jornada Mundial da Juventude é um sonho tornado realidade. Não é só uma coisa presente nas redes sociais, mas está presente na nossa diocese e vai percorrer a nossa diocese. Começa por aqui e vai percorrer o país todo, na esperança de chegar a Lisboa e fazer sentido toda esta peregrinação” – sublinha.

Os símbolos da JMJ começam no sul de Portugal uma grande peregrinação que percorrerá todo o país, enchendo de esperança as suas 21 dioceses. E será este o itinerário a seguir nos próximos meses até julho de 2023:

Novembro 2021: Diocese do Algarve

Dezembro de 2021: Diocese de Beja

Janeiro 2022: Diocese de Évora

Fevereiro 2022: Diocese de Portalegre-Castelo Branco

Março de 2022: Diocese da Guarda

Abril de 2022: Diocese de Viseu

Maio de 2022: Diocese de Funchal

Junho de 2022: Diocese de Angra

Julho de 2022: Diocese de Lamego

Agosto de 2022: Diocese de Bragança-Miranda

Setembro de 2022: Diocese de Vila Real

Outubro de 2022: Diocese do Porto

Novembro de 2022:  Diocese de Setúbal

Dezembro de 2022: Diocese das Forças Armadas e de Segurança

Janeiro de 2023: Diocese de Viana do Castelo

Fevereiro de 2023: Diocese de Braga

Março de 2023: Diocese de Aveiro

Abril de 2023: Diocese de Coimbra

Maio de 2023: Diocese de Leiria-Fátima

Junho de 2023: Diocese de Santarém

Julho de 2023: Diocese de Lisboa

Entretanto, a cruz peregrina e o ícone mariano estiveram em peregrinação nos últimos meses em Espanha, na Polónia e em Angola. Em particular, no país africano lusófono, esta peregrinação foi especialmente sentida e vivida em clima de grande alegria e entusiasmo.

Recordemos que na Missa de acolhimento dos símbolos em Luanda, no dia 9 de julho, na paróquia da Sagrada Família, D. Filomeno Vieira Dias, presidente da Conferência Episcopal de Angola e S. Tomé (CEAST) apelou aos jovens para viverem estes momentos com intensidade, e disse que os símbolos estão revestidos de vivências no caminhar da história da Igreja.

Na ocasião, D. Filomeno Vieira Dias agradeceu o gesto dos irmãos portugueses, em especial ao padre Filipe Diniz, diretor do departamento nacional de Portugal da Pastoral Juvenil e que estava presente naquela celebração em Angola. D. Filomeno sublinhou o desafio lançado pela JMJ para uma maior proximidade aos países de língua oficial portuguesa.

A peregrinação dos símbolos da JMJ por Angola percorreu as dioceses de Luanda, Sumbe, Benguela, Huambo, Viana e Caxito de 9 de julho a 18 de agosto.

Chegou a hora de Portugal! A partir do Algarve, neste mês de novembro, a cruz peregrina e o ícone mariano vão-se fazer presentes na vida de todos. Uma oportunidade única de comunhão e de participação. Um momento de experiência espiritual intensa que vai marcar a vida dos portugueses.

Laudetur Iesus Christus

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural: