Por que devemos viver como se fôssemos morrer hoje?

Quando nos preparamos para a vida eterna, deixamos de ter medo da morte
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Amorte é, muitas vezes, assustadora. Mas ela passa a deixar de ser quando você vive cada momento agradecido pela vida, passando o pouco tempo que você tem se preparando para a eternidade.

Não sabemos nem o dia nem a hora em que passaremos desta vida para a outra. No entanto, em nosso mundo moderno, é tentador esquecer essa dura realidade. Fizemos tantos avanços na área da saúde que a expectativa média de vida está aumentando a cada ano. A maioria das pessoas viverá até pelo menos 80 anos de idade!

Isso, portanto, é inédito na história humana, já que em eras passadas muitos viveriam apenas até os 30 anos.

No entanto, mesmo que provavelmente ainda vivamos por mais décadas nesta terra, devemos viver cada dia como se fosse o último.

Catecismo da Igreja Católica afirma:

“A Igreja exorta-nos a prepararmo-nos para a hora da nossa morte («Duma morte repentina e imprevista, livrai-nos, Senhor»: antiga Ladainha dos Santos), a pedirmos à Mãe de Deus que rogue por nós «na hora da nossa morte» (Oração da Ave-Maria) e a confiarmo-nos a S. José, padroeiro da boa morte” (CIC 1014). 

Fugir da morte

Quantas vezes tentamos “fugir da morte”? Achamos que, de alguma forma, escaparemos de suas garras… Mas ninguém jamais teve sucesso nessa empreitada. Em vez disso, viva como se fosse morrer hoje. Isso muda tudo.

Quando estamos constantemente preparados para a morte, ela não tem mais um “aguilhão” e “não contém grandes terrores”. Além disso, podemos manter um espírito de agradecimento, sempre cientes de que cada momento que recebemos é um presente de Deus.

Portanto, se você quer mudar sua vida de maneira positiva, viva-a com a expectativa de morrer a qualquer momento, usando o tempo de que dispõe para fazer o bem na terra.

Aleteia

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural: