Francisco: “Sonho com um mundo zeloso da Criação e solidário com os mais frágeis“

Em uma mensagem, assinada pelo cardeal Pietro Parolin, aos participantes das Semanas Sociais na França, o Papa Francisco convida a "não ter medo de sonhar", mas a fazê-lo de modo compartilhado: só assim será possível criar "uma nova realidade"
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Ouça a reportagem e compartilhe!

Por ocasião do 95º encontro anual das Semanas Sociais na França, que se realiza on-line a partir desta sexta-feira (26/11) e se conclui neste domingo, em Versalhes, o Papa Francisco enviou uma mensagem, assinada pelo cardeal-secretário de Estado, Pietro Parolin, com base no tema do evento: “Ousemos sonhar com o futuro. Cuidemos das pessoas e da terra”.

Ao iniciar sua reflexão sobre a importância dos sonhos, o Papa partiu de uma citação do saudoso arcebispo brasileiro, dom Hélder Câmara, um gigante na defesa da justiça e dos direitos dos mais vulneráveis: “Quando sonhamos sozinhos, é apenas um sonho; mas quando sonhamos com os outros, tem início uma nova realidade”.

Ouvir a voz dos mais pobres

“Não devemos ter medo de sonhar – frisa o Papa em sua mensagem – sobretudo se este sonho for compartilhado e realizado juntos.” Daí, a referência aos grandes sonhos descritos na Exortação Apostólica pós-sinodal “Querida Amazonia“: “O sonho de uma sociedade que luta pelos direitos dos mais pobres, para que a sua voz seja ouvida e sua dignidade promovida”. Trata-se do sonho de um mundo capaz de preservar a sua “riqueza cultural” e fazer “resplandecer a beleza humana, em seus diversos aspectos”. O Pontífice expressa ainda o desejo de uma sociedade que defenda “com zelo” a criação e acolha a “mensagem do Evangelho”, o anúncio de que Deus ama infinitamente cada ser humano.

A esperança abre-se aos grandes ideais de verdade e justiça

“Compartilhar os sonhos – acrescenta Francisco, – significa colocar em prática a cultura do encontro”: um elemento extremamente essencial em um mundo envolvido por quase dois anos de pandemia. Neste contexto, afirma o Papa, “torna-se urgente pensar em um futuro, que leve as pessoas a viver na esperança”. Cabe aos cristãos “levar ao mundo esta linda virtude, em um momento decisivo para o futuro”.

“A esperança deve ser corajosa – reitera o Pontífice, ao recordar a sua Encíclica “Fratelli tutti” -; deve ir além dos comodismos pessoais e se abrir para os grandes ideais, que tornam a vida mais bela e digna”. Trata-se de “uma sede, aspiração, desejo em plenitude de uma vida promissora, que enche o coração e eleva o espírito às grandes realizações como a verdade, o bem, a beleza, a justiça e o amor”.

Promover o desenvolvimento integral de toda pessoa

O Santo Padre conclui sua mensagem fazendo um apelo aos participantes on-line nas Semanas Sociais da França, para que possam “apoiar, defender e promover o cuidado da criação e das pessoas mais frágeis”, como também o “desenvolvimento integral de cada pessoa, sobretudo na sua dimensão espiritual fundamental”. Enfim, o Papa confia o evento à proteção materna de Nossa Senhora.

Objetivos das Semanas Sociais

As Semanas Sociais na França, hoje organizadas pela senhora Dominique Quinio, à qual o Papa dirige a sua mensagem, tiveram início em 1904. Desde então, criaram “momentos de encontro, formação e debate entre todos os que, através da sua ação e reflexão, buscam contribuir para o bem comum, a partir do pensamento social cristão”.

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural: