A luz de Deus quer abrir os nossos olhos

“Partindo Jesus, dois cegos o seguiram, gritando: ‘Tem piedade de nós, filho de Davi!’” (Mateus 9,27).
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O grito dos dois cegos do Evangelho de hoje é por misericórdia, por compaixão, por clemência e socorro. O grito dos dois cegos de hoje mostra o quanto nós, que estamos também cegos nesta vida, precisamos gritar e clamar pela misericórdia de Deus, para que possamos enxergar, para que possamos ver o que não conseguimos ver, para que os nossos olhos possam se abrir.

Às vezes, perguntamos: “O que está acontecendo com a minha vida?”, “O que está acontecendo com a minha família?”, “O que está acontecendo com a minha casa?”, “Não consigo entender, não consigo ver”; e muitas vezes está a nossa frente e nós não enxergamos o problema; muitas vezes, o problema está dentro de nós, mas não o enxergamos.

Deixemos que a graça de Deus nos toque, para que nossos olhos possam se abrir para enxergarmos o que não enxergamos ainda

A primeira coisa é admitir que sou cego, é admitir que a minha visão de vida e de mundo é limitada, muitas vezes distorcida, mal focada e está faltando luz para que eu realmente possa enxergar o que está a minha volta. Mas, mais do que enxergar o que está a minha volta, preciso enxergar o que está dentro de mim e que, muitas vezes, não vejo, porque estou sempre achando que o problema são os outros, não enxergo em mim o que preciso mudar, o que preciso fazer, como preciso me comportar. Vejo pessoas que passam a vida inteira reclamando dos outros, são filhos que não se enxergam, querem sempre colocar a culpa dos seus problemas e dificuldades nos seus pais.

Para mim, uma das maiores calamidades dos nossos tempos é essa: é ver pessoas que já são adultas, que já deveriam ter uma maturidade, mas são cegas e vivem uma verdadeira imaturidade de vida, estão sempre atrás de outros para culpar e para desculpar seus próprios erros. Isso quando não estão culpando os pais, os quais muitas vezes estão idosos, sofridos, e têm que ficar escutando filho reclamando, culpando por isso ou por aquilo. Pode ser que, lá no passado, tenha acontecido algo que o limitou, mas a vida é superar, é ir para frente.

Quanta cegueira no mundo em que estamos, onde as pessoas querem colocar a culpa em Deus pelos desastres, pelo o que não deu certo. Desculpe-me dizer, mas não nos enxergamos, não nos vemos como precisamos realmente nos ver; e aí é preferível ficar naquela bengala, ancorado nas culpas e desculpas, quando o que nós precisamos é enxergar, é reconhecer que estamos cegos, limitados na nossa visão interior, limitados na nossa visão de vida, reconhecer a nossa própria ignorância, aquilo que nós ignoramos, que não conhecemos, e humildemente buscar ajuda.

Os dois cegos buscaram em Jesus a luz. O grito de misericórdia é o grito de reconhecimento da própria fragilidade, na necessidade de socorro, de auxílio e de ajuda. Se somos cegos na visão espiritual, fechamo-nos no nosso orgulho, na nossa soberba e não enxergamos a luz de Deus que quer abrir os nossos olhos.

Você crê que Jesus pode abrir os seus olhos? Se você crê, deixe que a graça de Deus toque em você, para que seus olhos possam se abrir para enxergar o que não enxerga ainda.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural: