Quem tem medo de vós, não vos fixou nos olhos

Do Centro de Acolhida e Identificação de Mytilene, na ilha de Lesbos, Francisco chama o mundo à responsabilidade e à solidariedade para com aqueles que buscam uma vida digna
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

ANDREA TORNIELLI

Cinco anos depois, o Papa quis voltar a esta ilha para visitar os migrantes e refugiados. No início de seu discurso ele citou as palavras ditas aqui mesmo pelo patriarca de Constantinopla Bartolomeu, em 2016:

«Quem tem medo de vós, não vos fixou nos olhos. Quem tem medo de vós, não viu os vossos rostos. Quem tem medo de vós, não vê os vossos filhos. Esquece que a dignidade e a liberdade transcendem o medo e a divisão. Esquece que a migração não é um problema do Médio Oriente e do norte da África, da Europa e da Grécia. É um problema do mundo inteiro»

Essas palavras do patriarca que Francisco quis repetir ajudam-nos a não esquecer, a não desviarmos o olhar. Sempre aprendemos de novo que as pessoas que estão aqui, aquelas que batem nas nossas fronteiras, não são migrantes ou refugiados, não são números, são pessoas.

Aprendamos a olhá-las nos olhos. São vítimas da guerra, do ódio, das mudanças climáticas, dos traficantes de pessoas, dos políticos que as usam como moeda de troca. Ao invés de darmos as costas ou nos dividirmos instrumentalizando o medo, procuremos todos, juntos, questionar o sistema que causa as desigualdades e alimenta as guerras.

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural: