8 fatos impressionantes sobre a aparição de Nossa Senhora de Guadalupe

Alguns deles são considerados milagres
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Todo ano, no dia 12 de dezembro, celebramos o dia de Nossa Senhora de Guadalupe. Desde a sua aparição, em 1531, a história do indígena Juan Diego e sua ‘tilma’ é cercada de mistérios.

Mas hoje, quero falar sobre alguns fatos impressionantes sobre a aparição da Padroeira das Américas. Alguns destes fatos são considerados milagres, pois são fenômenos inexplicáveis do ponto de vista da ciência e ainda que intrigam estudiosos do mundo todo.

1- As batidas do coração de Jesus

Após a aparição da imagem de nossa senhora de Guadalupe na ‘tilma’, ou seja, no manto de Juan Diego, inúmeros especialistas, de diversas áreas de atuação, foram chamados para realizarem uma primeira análise sobre esse fato inacreditável. Em uma destas análises, foi constatado que as dimensões do corpo da imagem eram as mesmas de uma gestante que estaria prestes a dar à luz. Um médico, que participava desta equipe de estudiosos, colocou um estetoscópio na imagem de Nossa Senhora e ouviu batimentos cardíacos, com aproximadamente 115 pulsações por minuto, o que é muito comum para bebês que ainda estão no ventre de sua mãe.

2- Refração de cores e luminosidade

O rosto, as mãos e a túnica presentes na ‘tilma’ modificam-se dependendo da posição da luz, algo que é comum avistarmos nas penas de alguns pássaros ou nas asas de borboletas. Mas, segundo diversos especialistas, esta técnica é impossível de ser reproduzida por humanos.

3 – A imagem não foi pintada

Até hoje, não foi identificado nenhum sinal de pintura no tecido. Mesmo com inúmeros estudos feitos na ‘tilma’, não foi possível descobrir a origem das cores que formam a imagem e nem de que forma que ela foi pintada. Não se encontrou nenhum sinal de pinceladas ou outras técnicas conhecidas. O químico alemão Richard Kuhn, vencedor do Nobel de Química de 1938 e 1949, extraiu duas fibras do manto e sua conclusão sobre estas amostras é que não possuem nenhum tipo corantes animais, vegetais, minerais ou corante sintético conhecido em 1531.

Em 1979, o biofísico Phillip Serna Callahan, junto com especialistas da Nasa, analisou a imagem para verificar se não realmente não era uma pintura ou até mesmo uma fotografia sob o tecido. Após mais de 40 fotografias infravermelhas, constatou-se que a imagem realmente não é uma pintura e nem mesmo uma fotografia e que, na verdade, a imagem se encontra 3 décimos de milímetros distante da ‘tilma’, algo inexplicável para toda a equipe.

4 – Durabilidade do manto

A imagem está em uma ‘tilma’, como já falei anteriormente. Uma ‘tilma’ é um conjunto de fibras de um cacto chamado maguey, que dura no máximo 20 anos. Para comprovar essa durabilidade, fez-se uma réplica, com as mesmas condições da ‘tilma’, que durou o tempo já estimado, enquanto o manto com a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe já dura mais de 500 anos.

5 – Os olhos de Nossa Senhora

Nos olhos da imagem de Nossa Senhora, que tem uma superfície de apenas 8 milímetros de diâmetro, foram encontradas 13 figuras. O cientista José Aste Tonsmann, Engenheiro de Sistemas da Universidade de Cornell e especialista da IBM no processamento digital de imagens, diz que essas imagens não podem ter sido feitas por um ser humano.

Quando ampliada, a imagem dos olhos de nossa senhora mostra as figuras, incluindo um índio sentado com a pernas cruzadas; o bispo; um outro espanhol, que, como se sabe, servia de intérprete para o bispo; uma mulher negra, chamada maria, que trabalhava na sede episcopal; uma família com seis pessoas, entre elas crianças; o próprio índio Juan Diego com a ‘tilma’ esticada contendo a imagem e para onde estão voltados os olhares dos demais.

Aleteia

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural: