Deixemos Jesus converter o nosso coração

“Elias já veio, mas eles não o reconheceram. Ao contrário, fizeram com ele tudo o que quiseram. Assim também o Filho do Homem será maltratado por eles” (Mateus 17,12).
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Geração perversa à de Jesus, que não reconheceram os enviados de Deus. Primeiro, a referência que Jesus faz a Elias, João Batista veio com o Espírito de Elias. Aí você pergunta: “O Espírito de Elias?”, “Que espírito de Elias?”. É o espírito profético, o espírito profético que Elias tinha que foi tão importante para Israel, mas Israel também não o ouviu.

Agora, no novo tempo que é dado a Israel, veio o novo Elias, veio João Batista com esse mesmo espírito anunciando, preparando, e muitos não o reconheceram. É claro! É preciso reconhecer que pessoas se converteram, pessoas ouviram João, deixaram-se batizar, mas os religiosos na sua grande maioria, os líderes não.

Só não se converte ou não deixamos Jesus converter o nosso coração, porque não aceitamos as correções de Deus

Como é difícil, muitas vezes, nós, obcecados no mundo religioso em que estamos, com as nossas pretensões de sermos realmente donos do Reino dos Céus, não nos convertermos para Deus com a graça que Ele nos envia. Porque achamos que o Reino de Deus, que a Palavra de Deus é enviada sempre para os outros, aí estou sempre sendo duro em culpar, em chamar à atenção os outros, e não deixo que a Palavra de Deus exerça essa força da convenção em mim.

Preciso me converter, a cada dia, e preciso entender que conversão não é simplesmente mudança de comportamento, também é uma expressão necessária, mas a conversão vem pela mudança de mentalidade. A mentalidade religiosa corrompida é uma das mais perversas que existem, porque a mentalidade religiosa pervertida se fecha, bloqueia-se e não se abre para ser corrigida. Você pode olhar que uma pessoa religiosa não gosta de ser corrigida, ela gosta de corrigir os outros; a pessoa religiosa não gosta de ser instruída, porque ela se acha instrutora dos outros, quando, na verdade, a graça de Deus muda a mentalidade.

A conversão é justamente abrir a mente e dizer: “Preciso aprender sempre”, “Preciso de ajuda”, “Preciso de socorro”, “Preciso aprender a ser humilde”, porque quando não me converto, a minha atitude religiosa faz de mim uma pessoa arrogante, com aquelas jactâncias todas, com aquelas vaidades todas. É por isso que quando Jesus se refere aqui aos religiosos de Sua época, e você sabe o número deles, os grupos que eles tinham, os fariseus, os doutores da Lei, não eram os doutores da lei civil, eram os doutores da Lei religiosa mesmo. Vamos nos tornando doutos em religião, em falar de Deus, mas só não se converte ou não deixamos Jesus converter o nosso coração, porque não aceitamos as correções de Deus.

Elias veio para corrigir Israel, e Israel não se deixou corrigir por ele. No novo tempo, vem João corrigir também Israel, e Israel não se deixa convencer nem se converter por ele, e agora vem Jesus e com Ele fazem ainda pior, não só não o recebem, mas o matam, rejeitam-no e matam-no.

Não podemos seguir o caminho dos maus religiosos, e mau religioso não é aquele que fica em casa acomodado, também é uma forma má de viver a religião, mas o mau religioso é aquele que não acolhe, é aquele que não se converte, é aquele que quer converter a todos e não converte a si próprio. Acolhamos, pois é tempo de conversão.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

 

Marcio Brito
Marcio Brito

DaQui Agência Digital

Apoio Cultural: